Não sou príncipe encantado

Não venho a cavalo nem tampouco
Uso espadas para ser rotulado como 
Príncipe encantado.

Não quero ser nenhum refém dos seus
Desejos psicóticos nem fantoche
Das suas fantasias insanas.

Sou carregado de defeitos
E vivo a falhar, mas pense
você que vai me domar.

Ceder ao seus caprichos
Foi um fim dessa agonia,
E agora, eu parto em retirada.

Jilmar Santos

 

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Gestores Adm

    Ninguém é de ninguém, e ninguém deve se empenhar em mudar o outro ao seu bel prazer.

    Feliz 2018!

    • Feliz 2018, Edith! Obrigado pela leitura!

  • Gestores

    Ser refém, só se for por vontade própria.

    • Obrigado pela visita! Bjs Feliz 2018

  • Se não é para voar bem alto – é melhor nem tirar os pés do chão! Um poema de excelente conteúdo, astúcia e beleza.

    • Adorei essa frase: "Se não é para voar bem alto – é melhor nem tirar os pés do chão!"

      Obrigado, SAM

  • Gestores

    Adorei esse final

    Parabéns, Jilmar, maravilhoso poema.

    Não há principes encantados! todos temos defeitos.

    • Obrigado, Livita!

  • "Ceder ao seus caprichos
    Foi um fim dessa agonia,
    E agora, eu parto em retirada"

    Bela saida,Jilmar rsrs

    Gostei dos seus versos!

    Bjsssss

    • Obrigado, Ciducha!
This reply was deleted.
CPP