Num tempo qualquer

Num tempo qualquer

O dia nasceu com o sol reluzente
Enchendo a manhã de tamanha esperança
Olhei - me no espelho senti - me atraente
E a juventude voltou para lembrança.

A moça faceira tão cheia de sonhos
Nas trilhas da vida seguindo feliz,
Com tanta pureza nos olhos risonhos
Provida de anseios sem ter cicatriz.

Andava sozinha e tinha confiança
Que a sina era fruto da mente sadia.
Um pacto feito...fiel aliança,
Num tempo qualquer e a quem merecia.

E sem intenção em rever meus amores
Recordo de quem enfeitou minha vida,
Que todos os dias ofertava - me flores:
A rosa vermelha, minha preferida.

Então num suspiro acalentei minha alma
E trouxe a saudade pra junto de mim
As lágrimas desceram quentes e calmas
Do ar exalei perfume de jasmim!

Márcia A Mancebo
21/01/2022

Votos 0
Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

This reply was deleted.
CPP