O amor e seus limites

O amor e seus limites

O amor e seus limites

Quem não invoca a beleza em sua plenitude?
Quem não se deixa observar o movimento da natureza?
Somente quem, morto, jaz por dentro.

Triste é ter que conduzir uma vida pesada assim
Sem saber ao certo qual será o fim
Quem consegue viver algo extremamente ruim ?

Quem, o amor, nunca questionou ?
Em nossa existência tudo é absurdamente rápido
Sei que é o amor que nos dá a clareza necessária.

O mesmo amor que preciso aprender a amar
O amor que preciso experimentar
O amor que nos faz vencer todo o medo.

Vou me adaptando
No existir efêmero e incoerente
Regrado ao amor absoluto
Amor que nos traz a plena felicidade
E que também nos faz gemer de tanta saudade.

O amor que tudo suporta
E que sabe reconhecer um relacionamento abusivo
Aproveitando a feliz conquista desta tarde.

Carlos de Campos

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

This reply was deleted.
CPP