Inspirações

O TRANSEUNTE

 

Resultado de imagem para imagens de mendigos no frio"

O TRANSEUNTE


Come do pão da dor adormecido
Bebe a água sem filtro envenena
Bate o coração de quem apanha
Respira ar sujo a exalar esgosto 

"Fonte natural da poluição"

Segue para qualquer lugar incomum
Arrasta calcanhares ralo fim asfalto
Pensa pensamento, não, não pensa !
Absorve os raios insensatos do sol

"Sem cognitivo capenga na letárgia"

Lá vai um ente entre vivo animal
Sombras diferenças  lunar cruéis
Das somas, subtrações e divisões
Um resto da divisão de aluguéis 

"Que a nada, nada em servir"

Dorme na noite de frios calafrios
Pega o quente sopão da caridade
Este homem agora é um mendigo
Não é ficção, uma triste realidade

"Um lacre, sã dormência fosca"

final
ADomingos

João Bosco - O Bêbado E A Equilibrista (Ao Vivo) TUDO HAVER COM A POESIA

 

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Muiito belo e triste. Aplausos mil

  • Gestores

    Poema concreto, real nos mostrando a desigualdade social que impera em nosso mundo. Parabéns!

  • Trite realidade, poeta Antônio Domingues! Uma leitura conteporãnea!

  • Realmente, nada neste mundo parece ser ficção e sim, tudo parece ser realidade - parabéns Dr. Antonio das letras.

    João Carreira

This reply was deleted.
CPP