PUXE A CADEIRA

Quem sabe do meu tempo e do momento meu
Caminhos que a minha vida percorreu
Quem sabe das historias que eu nunca contei
Memórias que a ninguém eu revelei

Quem sabe das verdades que eu já espalhei
Ou das mentiras que eu também criei
Quem sabe dos amores a quem me entreguei
Ou quem se entregou a mim também

Quem sabe dos amigos que eu conquistei
Ou do aperto de mão a quem eu me neguei
Quem sabe das tristezas que eu muito chorei
Das alegrias todas que eu tive e dei

Quem sabe das minhas lutas, da minha aflição
De quem me ignora por falta de atenção
Quem sabe dos meus sonhos, perdas e conquistas
Se alguem souber de mim que me mande noticias

Oh, quem saberá de mim, quem poderá saber
A não ser eu, quem poderá ser
Mas quem quiser saber, basta me perguntar
Puxe a cadeira e venha conversar

 

(Petronio)

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Gestores

    Nada como uma boa prosa para se conhecer alguém!

    Parabéns Petronio! 

This reply was deleted.
CPP