Saudade

Saudade

SAUDADE

Pudesse nos versos que teço, dizer
A dor da saudade que está no meu peito
Me corta em pedaços, me faz padecer
Me tira do sério, me deixa sem jeito.

Saudade
funesta me açoita sem dó,
Faz a alma refém sem direito a defesa
Quer ver ­– me sentir o viver como um pó
Não entende que sou tão carente indefesa.

Minha alma criança não entende que amar
É algo profundo que se torna imortal
Que molho o papel onde estou a historiar
Sou frágil, sou fraca se não estou legal.

E quando a saudade vem forte bater
Pareço um riacho que desce da serra
Não há o que console, nem faça esquecer
de alguém que amo tanto e não está mais na terra.

Marcia A Mancebo
24/ 02/2021

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Gestores

    8605315894?profile=RESIZE_710x

    • Uauuuu!!!!

      Adorei.

      Obrigada amiga

       

  • Poema primoroso, poetisa amiga, eis a inimiga intangível novamente...

    Se sentes saudades, os momentos vividos valeram a pena...

    Sou seu fã.

    Abraços, paz e Luz!!!

    • Obrigada amigo.

      Bjs

       

       

  • Gestores

    Mais uma obra-prima!

    Parabéns Márcia! 

    • Obrigada amiga querida 😘

This reply was deleted.
CPP