Solidão

Solidão

 

Solidão

 

Ponto fixo

Assunta prolixo

Assusta a mansidão

Junto ao lixo

Não reciclável

Nada amável

Que solidão!!!

 

Vento voe com o ponto fixo

Daqui, de lá, dali, de acolá...

 

Pincel de cerdas flexíveis cubra

As parades de vivas cores

Estampe colorido de odores

O tosco reboco pobre encubra

 

Tela estampada de céu

Tal qual uma renovação

Colcha de retalhos um véu

Amparas em flores canção

Inove a receita querida

Com nova coberta tecida

 

Desponta um monte de pontos flexíveis

Ora reverta as atitudes

Abraçe o dia, a tarde, a noite

Deixe vingar a virtude fortaleza

 

A solidão tem um vão, descubra

A vida não espera, quer viver

 

Fim

Antonio Domingos

07\03\2020

Votos 0
Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

This reply was deleted.
CPP