SONETO DO AMOR MADURO

Esperamos algumas dobras aprendendo mansidão

Depois, nos mesmos espaços a fio tivemos por lição

As certezas do intrépido desafio em vencermos

A vastidão dos doídos encantos indomados do mundo.

 

Outro tempo nos fora gasto no cotidiano desbaste

Daquilo que se desvendara com o surgir das verdades

Tão distintas quanto translúcidas com o passar da idade

Tão carismáticas a ponto de tornarem-se cumplicidade.

 

Fomos assim perseguindo ilusões e vencendo vaidades

Conquistando a amizade, obedecendo raras vontades

Distantes da subserviência, do ócio, das tolas paixões.

 

Tornamo-nos generosos, íntimos, prósperos e próximos

Tão comuns como apropriados são os doces sentimentos.

Então descobri que a amara desde o primeiro momento

 

PSRosseto

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Paulo Sérgio Rosseto

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Gestores

    Encantada Paulo por teu texto!!! Parabéns!! DESTACADO!! 

  • Um encanto de leitura..... parabéns!!!!

This reply was deleted.
CPP