Gestores

VERDADE, A...

*** * ***
A Verdade
.
Menina Verdade me diga
se é minha Amiga "de verdade"
usando da sinceridade
me defina ou conceitue
afinal o que é "A Verdade"?
..
Ou se temos verdades diversas
que até podem ser adversas
e nos causem a infelicidade
que também rima com verdade
e uma vez a verdade me dito
e o dito pelo não dito repito
seja em principio afinal
a VERDADE principal!
...
Mas... Se a verdade é plural
me dê pelo menos um sinal
para que eu distinga a verdade
por inteiro e não pela metade
Verdade... Verdade... Verdade!
*** * ***

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –
Gestores

"Vamos disseminar as Sementinhas de Amor pelas Estradas de nossas vidas!"

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Parabéns, poeta amigo, poema reflexivo, primoroso, adorei. Afinal, qual é a verdadeira verdade? A nossa verdade ou a verdade de outrem? Eis a questão. Sofismas são falsas verdades e, o mundo esta cheio deles. Ou serão eles também verdades diversas de minha verdade? Abraços, paz e Luz!!!

  • Taí uma questão de peso, Zeka: distinguir a verdade...  a mais verdadeira (ou será apenas a primeira?) verdade dentre todas as diversas e (adversas) verdades segundas ou quase certeiras... À semelhança de uma amiga de lindo sotaque, digo: "Pronto! Já me pôs em dúvida...Ah, que coisas você faz a gente pensar!" 

    (Posso brincar, né? rsrsrs Abraço ao poeta e à amiga.)

  • Cumprimentos pelas expressões, cumprimentos pela impressionabilidade.

  • Gestores

    Ás vezes, se É para chorar - Sor-rio
    às vezes, é para desconfiar, eu con-fio
    às vezes, sinto no peito 'imberbe' - um fio
    às vezes, dos oceanos e mares faço um rio
    às vezes, pacientemente, eu aumento o pa-vio
    às vezes, conto até mil, para disfarçar o meu -cio
    às vezes, a prova dos nove é meu grande deZ-a-fio

  • Gestores

    O Nada... o Vazio... a Dor
    ....
    Ah se eu sentisse nada
    não sei nem se existiria
    não sei nem se existindo
    poderia viver de fato
    pois o meu nada é mudo
    mas bem sei que está presente
    e completando meu tudo
    ..
    O meu Nada - é diferente
    pois que mesmo sendo nada
    nada vê, mas tudo sente
    e por cima de tudo meu nada
    só de pensar - me arrepio
    talvez seja coisa da idade
    volta e meia está no cio!
    ...
    E quando ele está no cio
    o mundo se torna vazio
    mas não um vazio qualquer
    mas o mais vazio dos vazios
    pois nada meu nada completa
    e nessa busca louca de amor
    o vazio de meu nada é dor
    ....
    E nem queiram sentir a dor
    de um nada que no vazio
    de um vazio cheio de nada
    de um nada carente de amor
    Ah - nada... vazio e dor
    sei agora que fazem parte
    do meu amor... seu amor!
    .....
    Z

    • Veja-se esse final! Depois de todo o exuberante rodopio, o moço se senta, assume uma postura à la Rodin, pensa e pensa, filosofa e nos arrebata!

      E como pensou e filosofou mais que nós, só podemos concordar e ovacionar! 

This reply was deleted.
CPP