DOÇURA

 “DOÇURA”

 

 

Vim de longe, minha amada

Busquei dentre os quadrantes celestiais

A imagem do teu belo rosto

E por ele, imediatamente, me apaixonei.

 

És a virtude das virtudes

O caminho certo e largo

Que, por tantos e tantos anos,

Tentei em vão encontrar.

 

Agora, finalmente,

A tormenta passou

O luar prateou o céu

E nós livres para nos amarmos.

 

Tua doçura

Teu meigo olhar

Jamais deixou transparecer tristeza

Ou qualquer mágoa.

 

És minha estrela cadente

Meu sonho de amor

Minha vida conquistada

Pelos abraços e carícias sem sim.

 

 

JC BRIDON

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

This reply was deleted.
CPP