Gestores

Tendo em vista o aniversário da CPP - Casa dos Poetas e da Poesia dia 03/09/2016, estamos abrindo espaço para o primeiro Sarau Poético da Casa, com vistas à edição do primeiro livro de antologia poética, através de editora com serviço gratuito, como a Agbook ou o Clube de Autores, em comemoração ao 1º ano de existência da Casa.

Tema:

Quando a poesia fala ao coração

Até 3 poemas por autor

Máximo de 25 versos

Mínimo de 8 versos

O ideal para este projeto é que os poemas sejam inéditos e façam referência ao tema para que o livro seja uma novidade.

Participação Gratuita:

Basta simplesmente Postar seu(s) poema(s) no Quadro em Branco logo abaixo

e Clicar em "Resposta".

Boas inspirações!

cpp

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • This reply was deleted.
  • This reply was deleted.
  • This reply was deleted.
  • This reply was deleted.
  • This reply was deleted.
  • Quando a poesia fala ao coração

    A beleza toma conta da emoção

    Toda tristeza é esquecida

    Surge a esperança para a vida

    Há um canto ao amor

    Há um convite ao despertar

    Há som de lira no ar

    Quando a poesia fala ao coração

    Há vontade de dançar à luz da lua

    Correr de braços abertos sem destino

    Sorrir para tudo, escrever poemas

    Agradecer por tanto receber e poder doar

    Ter amigos para dividir, comemorar

    Quando a poesia fala ao coração

    Todos os astros fazem plantão

    Querem celebrar os momentos de imensidão!

    Danusalmeida 20-09-2016

  • This reply was deleted.
    • Gestores

      3638208?profile=original

    • Leomária partilhar tudo isso nas suas alamedas poética foi mais-que-encantador!

  • No soy poesía

    No soy poesía , porque tengo hambre
    no soy ningún poema porque no tengo brazos
    no soy la palabra de la que tú hablas
    porque hoy no soy no me siento tu hermano.

    No soy porque no existo para tu mirada
    quedo en una esquina, dicen desesperanzados
    me puso la Vida, esa a la que tú cantas
    la que honorablemente se lleva mi alma.

    Seguiré solo
    sólo
    solo
    ¡qué importa!

    Te estaré llamando
    a tu puerta tres veces
    y me quedaré dormido en la alfombra
    como el último huesped
    con tarjeta por verte.

This reply was deleted.
CPP