I Oficina de Rondel sobre mote

14649710?profile=original

Rondel 

14649710?profile=original

O Rondel é um gênero de poesia francesa. Sua forma é sempre a mesma, não varia nunca.

É formado por duas estrofes de quatro versos e uma de cinco versos, nesta mesma ordem.

Pela maneira que é estruturado, o Rondel irá sempre ter apenas duas rimas. As rimas são: ABAB/BAAB/ABABA.

Tem uma peculiaridade: os dois primeiros versos da primeira quadra vão ser os dois últimos versos da segunda quadra.

Temos que cuidar ainda, que o primeiro verso da primeira quadra será o último verso do poema (da estrofe de cinco versos).

A preferência do versos é de sete ou oito sílabas poética (não é rígido), portanto pode ser feito em verso livre, só não pode ser verso quilométrico.

14649710?profile=original

Exemplo

14649710?profile=originalDesilusão

14649710?profile=original  Sofri por amor, mas meu pranto secou-se, (A)

          Nas íngremes margens da desilusão! (B)

           Amargo meu peito de dor exilou-se,  (A)

         Nas grutas profundas da dor, solidão. (B)

14649710?profile=original

             Tornei-me rascunho, mera ficção,   (B)

      E apenas tristezas o tempo me trouxe.  (A)

Sofri por amor, mas meu pranto secou-se, (A)

         Nas íngremes margens da desilusão!  (B)

14649710?profile=original

         De todo esse amor que era tão doce, (A)

         Ficaram lembranças caídas ao chão. (B)

                  Mas a poesia não congelou-se   (A)

           E brota do fundo do meu coração.    (B)

Sofri por amor, mas meu pranto secou-se! (A)

14649710?profile=original

Edith Lobato

14649710?profile=original

A oficina funcionará do segeuinte modo:

14649710?profile=original

Será deixado um mote de um verso para o participante se inspirar ou usar este verso como começo do seu rondel, quando postar sua composição, deve deixar outro mote em tela para o próximo partiicpante.

14649710?profile=original

Regras

14649710?profile=original

1. Todos os membros podem participar.

2.Permitido comentários sem imagem.

3. Permitido formatação dos poemas.

4. É proibido o uso do mote como título da obra.

14649710?profile=original

Boas composições!

14649710?profile=original

 

 

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Mote em tela

    Vem, te espero sorrindo 

  • Ecos de um amor no tempo escrito ( Lilian)

    Ecos de um amor

    Ainda os ouço pelo ar vagando
    É a tua voz perdida pelo infinito
    São vozes que meu nome estão chamando
    Ficaram nos nossos momentos escritos.

    Narrando um amor que fora bonito
    Ecos de um amor pelo ar entoando
    Ainda os ouço pelo ar vagando
    É a tua voz perdida pelo infinito

    Por este som eu sigo procurando
    Por esse querer que pensei ser finito,
    Mas em ecos seguem me alertando
    Que este amor no tempo fora bendito
    Ainda os ouço pelo ar vagando ...

    Márcia Aparecida Mancebo
    27/01/24

  • Mote em tela: Ecos de um amor no tempo escrito

  • Mote: Toda noite é assim um delírio constante ( Márcia)

    Noites insones

    As noites tem sido insones e traçoeiras
    Vejo meu ser em desalinho na intenção
    Busco refazer sonhos de forma grosseira
    Causando desordem ao combalido coração

    Assola -me abusiva e irônica a solidão
    Logo eu,tão desbravadora e aventureira
    As noites tem sido insones e traçoeiras
    Vejo meu ser em desalinho na intenção

    Sorvo esse desalento de forma rotineira
    Buscando neste caos uma conexão
    Parece uma guerra e eu na trincheira
    Entre os embates do amor e da razão
    As noites tem sido insones e traçoeiras

     

    Lilian Ferraz

    26/01/2024

  • Mote 
    " Toda noite é assim um delírio constante"

  • Lilian, se me permite a ousadia, vou tentar desenvolver a partir do teu mote...

    mote: " Capricho do tempo" (Lilian)

     

    Capricho do tempo.

    Da cor púrpura a tarde desce,
    Quando as almas se vão pros ninhos,
    E na hora do Angelus, uma prece:
    Peço o teu perdão... bem baixinho.

    Sinto a falta do teu carinho,
    Ah... quem me dera eu o tivesse...
    Da cor púrpura a tarde desce,
    Quando as almas se vão pros ninhos.

    Em minha vida, já anoitece,
    O tempo é mais do que mesquinho,
    Não te achei antes... se soubesse,
    Eu não seria tão sozinho!
    Da cor púrpura a tarde desce.

    (Marcos - 06/01/2024)

     12258834292?profile=RESIZE_180x180

    • Exuberante! Lindo demais

       

  • Mote em tela: Capricho do tempo

  • Como não foi deixado um verso para mote , compus com um verso do poema :

    Um grito surdo

    Autor : Poeta Marco Mollica

    * Um amor de ventania 

    🌻

    Rebuliço na estação 

     

    "Um amor de ventania"
    Rebuliço na estação
    Ressoa na poesia
    Expressando a emoção

    Tempestade de verão
    Ruidosa escurece o dia
    Um amor de ventania*
    Rebuliço na estação

    Gritos rasgam a harmonia 
    Varrendo a doçura do coração 
    Raios e trovões são alegorias
    Replicando no ar a decepção
    Um amor de ventania *

     

    Lilian Ferraz

    25/11/2023

  • mote: " A saudade tem aroma da flor" (Márcia)

    Saudade...

    Ah... quanta saudade eu sinto,
    Dos beijos que eu não te dei,
    Em tua boca de absínto,
    O meu coração deixei.

    Teus lábios, vermelho tinto,
    Entreabertos eu toquei,
    Ah... quanta saudade eu sinto,
    Dos beijos que eu não te dei...

    O teu perfume eu precinto,
    Dentro da minha alma, eu sei,
    Porque este amor tão infinto,
    É tudo que um dia sonhei,
    Ah... quanta saudade eu sinto!

    (Marcos - 17/10/2023)

    12258834292?profile=RESIZE_180x180

This reply was deleted.
CPP