Gestores Adm

I Oficina de Rondó simples sobre um estribilho

Rondó simples

 O rondó é um poema de forma fixa, também de origem francesa. Há rondós de vários modelos.

O Rondó simples tem três estrofes, sendo duas quadras e uma sextilha, com metade do verso inicial a se repetir no final da segunda quadra e da sextilha.

As rimas devem ser cruzadas nas quadras, com uma terceira rima na sextilha, pontuada no verso 4 e 6. Os dois versos iniciais da sextilha obedecem à rima inicial na condição emparelhada, o terceiro e o quinto verso obedecem à segunda rima na condição cruzada.

Assim, o poema segue o esquema rímico: ABAB/ABABd/AABCBCd, onde o d representa o refrão. Segue, como exemplo, um Rondó de Manuel Bandeira, bastante conhecido.

RONDÓ DE COLOMBINA

           De Colombina o infantil borzeguim    (A)
           
Pierrot aperta a chorar de saudade. (B)
      
O sonho passou. Traz magoado o rim,  (A)
     
Magoada a cabeça exposta à umidade. (B)

     Lavou o orvalho o alvaiade e o carmim.  (A)
       
A alva desponta. Dói-lhe a claridade    (B)
 
Nos olhos tristes. Que é dela?… Arlequim (A)
        
Levou-a! e dobra o desejo à maldade  (B)
                         
De Colombina.                    (d)

          O seu desencanto não tem um fim.    (A)
      
Pobre Pierrot! Não lhe queiras assim.   (A)
  
Que são teus amores?… — Ingenuidade  (B)
        
E o gosto de buscar a própria dor.       (C)
     
Ela é de dois?… Pois aceita a metade!  (B)
     
Que essa metade é talvez todo o amor  (C)
                              
De Colombina…              (d)

Manuel Bandeira, in Carnaval.

Regras

1. Todos os membros podem participar, a oficina propõe-se ao aprendizado;

2.Permite-se comentários sem imagem

3.Os textos devem ser postados no formato escrito;

4. Cada participante, após compor seu Rondó, deixará um pequeno verso que, servirá como estribilho à composição do próximo participante.

Boas composições!

 

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Próximo estribilho

    Não pensei...

  • Volta!

    Depois de tudo, digo a ti, meu amor
    Que não consigo te esquecer.
    Te vejo em cada manhã, em cada flor!
    Tu és, a razão do meu viver.

    Em teus braços sinto, da vida, o olor.
    Somente tu, sabes me compreender
    e ao me abraçar me acolhe com calor.
    Teu abraço faz meu coração aquecer.
    Depois de tudo...

    Estou aqui para pedir com fervor:
    – Volta, para sanar meu amargor.
    Vem, não quero jamais te perder.
    Tudo é triste... É solidão sem fim.
    Sozinha, sigo com tamanho pavor
    A vida não tem sentido pra mim
    Depois de tudo...
    Márcia A Mancebo
    10/03/2020

  • Gestores

    Próximo estribilho:Depois de tudo

  • Gestores

    Momento eterno.

    Siga em frente, encare a solidão
    Que existe ao longo da estrada
    Não espere que alguém lhe dê a mão
    E nem que cuidem de sua jornada.

    Aprenda a fazer a distinção
    Entre o que presta e o que não vale nada
    Use a consciência e a razão
    E faça deles seu ponto de chegada.
    Siga em frente...

    Mas não deixe de ouvir seu coração
    Quando for pra se entregar a emoção
    Pra que ele lhe dê as coordenadas
    E quando ao amor se entregar
    Que faça do desejo e da paixão
    Um momento eterno para amar
    Siga em frente...

    Marsoalex – 20/02/2020

  •  Próximo estribilho:

    Siga em frente...

  • Boneco de pano

    Nada sei da sua vida.
    Nos afastamos há anos;
    Cada um seguiu a sua lida.
    Tive tantos desenganos!

    Hoje sou só, sem guarida.
    Nosso amor foi puro engano,
    A paixão não foi parida
    Foi cruel... muito insano.
    Nada sei...

    Não quero ser comprometida,
    Não quero mais ser ferida.
    Esse amor foi vil...profano...
    Esse idílio teve fim
    Hoje és boneco de pano
    Sem significado a mim
    Nada sei...

    Márcia A Mancebo
    18/02/2020

  • Gestores

    Próximo estribilho: Nada sei

  • Gestores

    Farsa.

    Hipocrisia é fingir o que não sente
    Escondendo a incapacidade de amar
    Viver mentindo descaradamente
    Num jogo torpe para os outros enganar.

    Jogar com a vida dos outros é indecente
    É usar de artimanhas para alcançar
    Os próprios objetivos, independente,
    De fazer alguém sofrer, alguém chorar.
    Hipocrisia...

    O hipócrita jamais é transparente
    O disfarce lhe é conveniente
    Para as mentiras que ele vive a apregoar.
    Como boa gente ele se disfarça
    Enquanto está a arquitetar
    A melhor forma de exercer a sua farsa.
    Hipocrisia...

    Marsoalex - 15/11/2019.

This reply was deleted.
CPP