Gestores Adm

Oficina I - Desafio Poético sobre palavras aleatórias

719441?profile=original

PROPOSTA

 

Esta oficina destina-se à composição de poemas

sobre palavras deixadas aleatoriamente.

Regras

1. Ficarão em tela 4 palavras aleatórias para composição.

2. O participante deve compor nas palavras em tela

e ao postar seu poema, deve deixar outras

4 palavras para o próximo participante.

4. Os poemas criados devem ser postados na caixa de cima.

 

Boas inspirações!

 

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Meu sonho

    Pode até ser maluquice

    Mas não é uma burrice

    E nem é uma mesmice

     

    Mas queria era visitar

    Um sonho belo de lugar

    Mas esse quero desenrolar

     

    Quero ir e vou pesquisando

    Ao Egito Pirâmides desenhando

    Neste sonho vou viajando

     

    Até ele ser realizado

    (Norma Ap Silveira de Moraes)

    04/03/2020

  • MALUQUICE, DESENROLAR, LUGAR, SONHO

  • NOVO DIA

    Tendo como referência a noite que se foi,
    O dia desponta lindamente no seu alvorecer
    Disputando beleza e harmonia sob o sol
    Com seus raios fúlgidos e revigorantes.

    Singelamente, aos sons matinais
    E o verde acolhedor da caatinga
    O dia foge de toda casualidade,
    E inicia-se galhardamente vital.

    A natureza parece eufórica
    Com suas flores desabrochando,
    Com os pássaros fazendo festa,
    Em tudo, exala poesia.

    Virgínia Santana 02/03/2020

  • Palavras em tela:

    Casualidade, referência, singelamente, eufórica

  • Trajetória

    A lua em surdina, longe se esconde.
    Sem pestanejar o Sol rompe lindo
    e urgente deixa a manhã radiante
    Nasce o dia claro, com aroma infindo.

    É verão e as flores exalam perfumes.
    A suavidade atrai pássaros cantores
    e a brisa entra pela janela e leva
    todo o suspirar forte e o queixume.
    Uma paz na alma vem se abrigar.
    Belo momento, sensação sublime.

    Em estesia procurando nada, vejo
    esgueirando a sacada um pé de açucena
    sacudindo as folhas, sem notado, ser.
    Sinto que a natureza parece que acena.
    Acena a Deus em louvor pelo viver.

    O dia segue quente com o céu azulado
    cumprindo a trajetória com felicidade.
    Nuvens sem asas dançam no ar o xaxado
    A noite vai adentrar trazendo saudade.

    Márcia A Mancebo
    21/02/2020

This reply was deleted.
CPP