Oficina I - Desafio Poético sobre palavras aleatórias

719441?profile=original

PROPOSTA

 

Esta oficina destina-se à composição de poemas sobre palavras deixadas aleatoriamente.

Regras

1. Todos os membros podem participar.

2. Ficarão em tela 4 palavras aleatórias para composição.

3. O participante deve compor nas palavras em tela  e ao postar seu poema, deve deixar outras

4 palavras para o próximo participante.

4. Os poemas criados devem ser postados em texto escrito, sem arte, na caixa de resposta principal da oficina.

5. É permitido comentários de apreciação sem imagens nos textos.

 

Boas inspirações!

 

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Não a guerra, que venha a paz mundial

     

    Porque o domínio dos poderosos

    Destrói lares, matando inocentes

    No HORROR destas GUERRAS,

    Que assolam nas cidades e serras

     

    Quando ÓDIO, desejo de poder

    Sem piedade, há quanta injustiça

    Tirando todo o direito de viver

    Só a JUSTIÇA, Divina para julgar

    Vir em socorro com misericórdia

    Vindo ao povo sofrido salvar

    Terminar com toda essa discórdia

     

    Seja em nome de Deus ou dinheiro

    Governos insanos e dominadores

    Não pensam na paz, são politiqueiros

    Os povos  desamparados, sem guarida, sofredores

     

     

     Norma Silveira 10/11/2023

  • Palabras propuestas:

    Horror.

    Guerras.

    Justicia.

    Odios.

  • Desafío.

    (Indriso)

     

    No son sus hermosos ojos,

    Son sus miradas

    penetrantes, profundas, desafiantes...

     

    No son sus dolientes rostros...

    Son sus miradas,

    perdidas, brillantes, desesperadas.

     

    • Nada puede describirlas. Un desafío
    • enmarañado de hambre, dolor y frío ...

    Nieves Merino Guerra.

    Gran Canaria. España.

    03/11/23

  • Palavras em tela

    Zombar, Namoradeira, Criança, Desafio

    • Hummm.

      Interessante.

      Obrigada, Márcia querida.

      Beijinhos 

  • Preciso d’um rumo

    Há momentos na vida que se perde o tino
    E os dias parecem ao fim não chegar
    Que fico pensar que é o meu destino
    Viver qual a lua namorando o mar!

    Por mais que eu tente enfrentar os dias
    Eu fico perdida em falsas esperanças
    Seguir eu preciso, mas esta agonia
    leva-me sem dó a tristes lembranças.

    Por mais que eu tente a superação
    Eu sinto que a vida caminha pra trás
    Está tão marcado o meu coração
    Que sozinha eu choro a dor dos meus ais.

    Mudar a rotina de chorar escondido
    Preciso d’um rumo nesse meu caminhar
    Não quero viver qual um barco perdido
    Sem ter um porto onde possa aportar!

    Márcia Aparecida Mancebo
    02/11/23

  • Palavrasem tela

    Seguir- superação- rotina- enfrentar

  • INTIMIDADE COM DEUS

     

    Minha alma ama, com Deus se conectar

    Meus pensamentos comungam desinibidos

    Busco a energia necessária e salutar

    Mesmo sendo frágil busco esse meu amigo

     

    Me governo por meio da orquestra de Deus 

    Nesta intimidade Cósmica sigo meu caminho

    Sei que Deus ama e cuida dos filhos Seus

    No secreto da alma falo, Ele é o meu ninho

     

    No âmago da alma, de minha tristeza e solidão 

    Ainda assim carrego comigo essa força total

    Vou respirando e seguindo com gratidão 

    Caio sim, mas levanto, nesse amor especial 

     

    Cada um tem seu jeito ser e  de sentir 

    Muitas vezes não encontramos compreensão 

    Por tentar sorrir e mesmo triste seguir

    Mas há uma poderosa fortaleza no meu coração 

     

    Norma Silveira 

    20/10/2023

    • Parabéns pela poesia 👏👏

  • Palavras em tela: Desinibido,  orquestra, intimidade, frágil

This reply was deleted.
CPP