Acredito no amor, mantenho a esperança.

Tudo ruiu...

tão fugaz e repentino como um relâmpago

assim como outrora  havia surgido.

 

O amor que nos enlaçou

aos poucos com o  tempo 

dia a dia como a flor sem água

simplesmente, murchou.

 

A chama tão radiante

não mais se acendeu

O brilho daqueles momentos

em dias soturnos, se perdeu.

 

Ainda pulsa por ti, meu coração, amor meu

Nunca quis eu dizer-te adeus.

Teu ciúmes e minha intolerância

Complicaram tudo com a distância

 

Espero que o novo dia traga um recomeço

Na alvorada meu coração canta em sol maior

Na esperança que  tudo se reverta, eu peço

Não desista de nós! Acredite no nosso amor.

 

 

 

Lilian Ferraz

 

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Gestores

    1841771562?profile=RESIZE_710x

    • Grata, carissima. Bjs

  • Gestores

    1841764354?profile=RESIZE_930x

  • Ficou lindo o seu poema Lilian. Parabéns. Os motivos elencados são bem reais e comuns em fins de relacionamento.

    A postagem deste poema lá no Recanto me impulsionou para voltar aqui. Agradeço.

    Deixo meus abraços poéticos.

    • Sempre grata pela atenção, Poeta

  • Gestores

    Reconferindo.

    • Obrigadinha, caríssima. Boa noite 

  • Gestores

    Maravilhoso, Lilian! Aplausossssssssssssssss

    • Muito grata, Marso .

  • This reply was deleted.
    • Sempre uma honra, caríssima. Bjs

This reply was deleted.
CPP