E NO FIM, RESTA..."

E NO FIM, RESTA..."

E quando o amor chega de repente
Nos toca e invade, sem dia ou hora
Se apossa e se instala tão somente
Se tranca, sem vontade de ir embora

Em nós se entrelaça e nos faz sentir
É curto o espaço para aproximação
Sem os dois lados, não pode subsistir
E se distante, há muita delacrimação

Ah, ele sempre chega sem um aviso
Sem licença, nos pega de surpresa
Deixando no rosto um largo sorriso
Ainda que nos sintamos ser a presa

Não devemos jamais evitar ou hesitar
Se houver uma dualidade dilacerante
Abra a porta do coração para se deleitar
E no fim, resta aceitar esse amor relutante

Sandra Leone

Resultado de imagem para barrinhas

 

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Gestores

    Cartoverdecppbellisimodestac.jpg

  • Gestores

    Meus merecidos aplausos, Sandra! Lindo! Bjs

  • Gestores Adm

    Aplausos pelo teu lindo poema, Sandra.

    Parabéns!

  • Cumprimentos por mais uma obra que amplia o amor que tens pela literatura.

    • Obrigada poeta pelo carinho
  • Lindo, com versos ternos e sutis, parabéns, Sandra!

    • Obrigada pela visita poeta.
This reply was deleted.
CPP