Gestores Adm

Oficina de verso livre - Sem métrica e sem rima sobre tema I

A proposta aqui, nesta oficina é trabalharmos a inspiração sobre um tema proposto, onde todos os membros podem participar, postando quantos poemas fizerem sobre o mesmo tema. Na medida das possibilidade, farei um ebook.

Regras

1.Os poemas criados aqui, devem ser postados dentro da oficina e nunca como discussão separada.

2.Todos os membros podem participar.

3.Todos os poemas, aqui criados, podem ser postados em seus blogs.

A prática serve para aperfeiçoar o aprendizado.

Tema em tela: No branco do papel...

Sejam bem vindos e boas composições!

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Gestores

    No branco do papel

    .

    Observo o pergaminho à minha frente

    As palavras estão escondidas num recanto

    O branco do papel me seduz, num convite

    Mas estou vazia, nada surge, nada flui

    A pena desenha traços incompreensíveis

    Buscando a inspiração, a primeira letra

    Que traduza toda a emoção contida no íntimo

    Palavras me fogem, nada acontece, nada se cria

    E fico a observar o coração transpassado que a pena desenhou.

    .

    Maria Angélica de Oliveira - 23/07/17

    Oficina de Versos Livres - CPP

  • Olá minhas queridas e lindas poetisas.

    Resolvi dar uma passeada pela Casa e abri nesta pagina

    Sempre coloco que meus versos são livres ou são crônicas poéticas ou são crônicas poéticas em versos.

    Lendo a orientações de vocês aqui, fiquei numa dúvida tremenda.

    Será que coloco errado o estilo e ou forma de meus poemas?

    Devo escrever se são Versos Livres, Crônicas...etc...ou não escrevo nada ao lado do título?

    Também devo colocar o Poetrix  somente na Página de Poetrix e não em outro lugar?

    Agradeço a atenção de vocês e se possível uma resposta às minhas dúvidas.

    Sempre agradecida por tudo a vcs que são minhas Mestres da Literatura.

    Abçs poéticos de Veraiz Souza

  • O verso livre sim tem métrica...

     Favor de diferenciar bem o verso livre do verso branco.

     Beijos e ánimo para participar nas propostas das oficinas!

  • TEMA PROPUESTO II

     TRADUCCIÓN AL CASTELLANO:

    EN EL BLANCO DEL PAPEL

     

  • Gestores

    Mística beleza

    Sobre o branco vazio da folha
    Escorei a minha emoção
    Desenhando letras
    Coletando palavras
    Lá onde a memória
    Repõe meus pés descalços
    E germina sonhos
    Num processo mágico
    Que transforma
    Em realidade o nada...

    O céu se infinita
    Entre as letras,
    Gotejando sol que
    Pinta de luz as palavras
    Vertidas do rio da alma,
    Que esplendem
    Diante dos meus olhos
    Dando sentido a tudo...

    E são as mesmas palavras
    Que vagam pelo tempo,
    Que passam de boca em boca,
    Mas que, vestidas
    De sentimentos lúdicos,
    Transbordam em essência
    Do coração do poeta
    E se deitam sobre as linhas
    Enchendo o vazio branco da folha
    De mística beleza.

    Marsoalex – 01/02/2016

    • Mais que bom, amada Mar.

       Parabéns, deusa .

  • Gestores

    Sobre as linhas do papel

    A mão escreve compulsivamente
    Sobre as linhas do papel em branco
    Palavras soltas, desconexas,
    Sem rima, sem métrica,
    Apenas, sentimentos expressados
    Em silêncio, subjugados...

    Em horas mortas de dorida insônia
    O pensamento fica compulsivo
    Tenta juntar fragmentos de lembranças
     Uma ardente paixão, um amor perdido,
    Que me consumiu durante anos
    Na busca desenfreada do eterno...

    E as palavras caem sobre as linhas
    Como passos incertos sobre areia
    Tentando acompanhar os passos da vida
    Que passa em branco como folha de papel
    Onde tento, inutilmente, registrar
    O que nunca fui capaz de viver...

    Marsoalex – 21/01/2012

  • Gestores Adm

    Rascunho

    No branco do papel disponho as letras,
    e vou escrevendo a vida.
    Escrevo a saudade,
    a dor,
    a alegria,
    a tristeza,
    o amor.
    E o branco do papel se enfeita dos arabescos
    que marcaram minha vida,
    assim, feito as estrelas lá no céu.
    Rascunho,
    desenho,
    pinto,
    rabisco,
    alinhavo,
    bordo,
    toda esta imensidão
    sentida,
    vivida em cada estação.
    Deixo o pensamento solto
    trotar o verso,
    correr, livremente
    nos prados da inspiração.
    que pulsa
    nas marcas avulsas
    e abstratas da imaginação.
    Sem linha e agulha,
    alinhavo,
    costuro,
    e vou cerzindo
    cada ranhura.

    Edith Lobato - 15/12/15

    • Eita, qué belo e bom, meiga!"!!!

       Bravo!

This reply was deleted.
CPP