Posts de Marcia A Mancebo (128)

Cimento da felicidade ( Rondó )

3564447080?profile=RESIZE_710xCimento da felicidade.

Tudo vem quando se crê, na verdade,
Com altivez, amar pra ser amada,
Saber agradecer é o cimento da felicidade.
Pois, nessa vida, nós não somos nada..

Temos que viver com a humildade
entendendo como a lida é pesada,
Tendo na alma mui sensibilidade
pra que a vitória seja conquistada.
Tudo vem ...

Com o coração cheio de bondade
E, somente com a docilidade
A quem tem bons hábitos e os aplica.
É obrigação do próximo cuidar
Deus nos orientando, nada complica.
Com chuva de rosas, vai abençoar,
Tudo vem…
Márcia A Mancebo
(27/01/19)

Saiba mais…

Enganada

3559986666?profile=RESIZE_710xEnganada

Você roubou meus belos dias
Iludindo- me que me amava
Levou meu sonho, minha fantasia
Na noite que eu te esperava.

Do meu céu encheu de escuridão
Com um punhal minha vida tirou
Foi traiçoeiro ao meu coração
Hoje, sou sombra. Você me tornou.

Como cobra agitando o guiso
Com bote certeiro me deixou ao léu
Tirou dos meus lábios o sorriso
Fez - me provar o gosto do fel.

Fez das minhas horas desgosto
Tirando a ilusão da minha realidade
Louca de amor, beijei teu rosto
Acreditando num amor de eternidade
Márcia A Mancebo
( 13/09/19)

Saiba mais…

Recordação

3557994621?profile=RESIZE_710xRecordação 

Vejo a aurora dos tempos passados
Esfumaçada, sem brilho, sem luz
Somente o pensamento me conduz
A deixar meus olhos marejados.

A mente a borbulhar descompassada
 Embaralhada entre a estrela e reluz.
De tão linda que ao olhá - la me seduz.
Com tanto brilho fico encabulada.

Recordo com saudade aqueles anos
Repletos de amor, sem desilusão
O sonho a esbaldar de tanta ilusão.

O vento soprava os desenganos,
somente o amor  régia nossos dias
Meu mundo era repleto de alegria.

Márcia A. Mancebo

Saiba mais…

Poesia

3561729666?profile=RESIZE_710xPoesia 

Poesia, quando a tua voz me chama
a inspiração chega suave e lentamente 
As palavras surgem e eu as transcrevo
citando a vida de forma diferente 
e a juventude linda revejo.

Poesia, com angelical ternura 
Sem receio de revelar o amor
Enche meu sonho de eterna doçura 
Deslumbro com todo esse esplendor.

Poesia, és a asa que uso para voar
És o alimento do meu pobre Ser
Só em ti encontro a liberdade pura
Me vejo como pássaro na imensidão 
Meu ensejo leva- me a linda ilusão.

Poesia, companhia dos meus dias
de silêncio contemplando a beleza
de tudo que envolve a doce magia
em afogar lágrimas de tristeza.

Poesia, poucas sílabas a compõe 
traduzindo o pensamento sedutor 
És recôndito da alma que dispõe 
a singeleza nos versos de amor...

Poesia, quando a tua voz me chama
é como um prelúdio de melodia
a entoar nas entrelinhas a chama
que arde nas veias da fantasia...

Márcia A.Mancebo 
( 15/09/19 )

Saiba mais…

O calar do coração

3556600884?profile=RESIZE_710xO calar do coração 

Lânguido o céu escurece opaco em sombras
A saudade aparece e faz lembrar 
A tarde refletindo - se no mar
A imensidão tristonha só me assombra.

Não sinto olor do chão,  sempre alfombra
que eu pisava ao correr pelo jardim...
Não vejo borboleta vir a mim,
Até na fonte a água está salobra.

Cortejo a tarde sem contentamento 
Nem inspiração vem nesse momento 
Meus versos jazem, não tem comoção.

Gostava de escrever sobre a beleza
que minha alma devota a natureza 
mas, a palavra cala o coração...

Márcia A.Mancebo 

Saiba mais…

Regozijo amar!

3554775523?profile=RESIZE_710x

Regozijo amar!

Nos olhos levo armas da sedução.
Os lábios carmins abertos ao beijo.
Meu corpo sem pudor, o coração
ofereço, ao amor, pois, muito desejo.

Sou toda sua, quando o Sol reluz.
A claridade que incita meu ensejo
Nesse dia lindo, esplêndida luz;
No espelho a refletir, nós dois, eu vejo.

Danço como a ave em várias performances
Em cada passo a sugerir langores
esbanjando charme e intensos fulgores.

Aos meus abraços com ardor romance
somos um só, doçura ao cavalgar.
Após a exaustão regozijo amar!

Márcia A Mancebo

Saiba mais…

Silente

3553842467?profile=RESIZE_710xGlosa


Mote
Com passos lentos sem desistir
da última curva do viver.

Silente


Meu sonho foi embora com a idade,
Tudo que pensei em conquistar
a ventania levou pelo ar.
Forçosamente encarei a verdade
Silente aceitei a realidade
Que há tempo não quis entender!
Não havia mais o que fazer
a não ser conformar e seguir
com passos lentos, sem desistir,
da última curva do viver.

Márcia A. Mancebo

Saiba mais…

Reservas de ternuras

3553116550?profile=RESIZE_710xReservas de ternuras

Pensar, vagueia pra outras esferas.
Sinto leveza que me induz sonhar,
Adentro outrora, feliz primavera
Em teus braços eu soube,o que é amar!

Foi um impacto ao te conhecer;
Teus olhos fitaram-me casualmente.
Meu coração acelerou, me fez ver,
Que amar, é não seguir só, eternamente.

Com o tempo nos tornamos parceiros
Num elo forte de bons sentimentos
Elucidando o querer verdadeiro
E cintilando todos os momentos.

Nesse enlevo sereno reina paz
Minha alma regozija de alegria
Com reservas de ternuras que se faz
O viver esbanjar-se de poesia.
Márcia A Mancebo

Saiba mais…

A vida desenrola definida

A vida desenrola definida

Espiando pela fresta dos dias,
Há negridão e claridade constante,
Luar, estrela e muita fantasia,
Flor colorida  e pássaro  sibilante...

Ás vezes passo horas a pensar,
Peripécia a vida faz com a gente
Tem dia que lembrar, me faz chorar.
Ao rememorar não sou diferente.

Sinto que o viver quer me condenar
E pelo  mutismo sou abatida.
Com lágrimas dos olhos a rolar,
A vida  desenrola definida.

Não há como mudar a trajetória.
Sei que o tempo leva embora a idade,
Não sou  compatível com essa história,
Envelhecer chorando de saudade.

Márcia A Mancebo

Saiba mais…

Versos tristes

3550342414?profile=RESIZE_710xVersos tristes 

 

Se acaso um dia em versos eu chorar

De desalento ou por vil desencanto 

Feche os olhos e não veja meu pranto 

Não tens motivo pra me consolar.

 

É com lamentação e sangue que os teço

Com volúpia e tristeza amarga esparsa

É desabafo da alma...é um comparsa

trucida....e fere por não ter apreço.

 

São gotas quentes ao longo da vida

Angústias toucas sem sabor e olor

em páginas lavradas sem calor.

 

Resquícios de uma árida ocre e ávida 

boca seca sem beijo de um amor

Saem do coração vertente em vão...

 

Márcia A.Mancebo

Saiba mais…
CPP