Inspirações

A Loja da Felicidade

A loja da Felicidade

 

Tiago sentiu-se desiludido ao ver chegar Luísa, então ele caprichara para receber a nova chefe do departamento de pessoal com a máxima das elegâncias e, ela dava-se ao desplante de se apresentar naquele estado. Como se já não lhe bastassem aqueles óculos grossos e o cabelo meio desgrenhado, ainda se permitia vestir aquele conjunto cheio de cornucópias que, juntamente com as horríveis alpercatas que lhe serviam de calçado, lhe transmitiam um verdadeiro ar de parola.

Tiago não acreditava que ninguém tivesse avisado a nova colega, que naquela empresa havia um chefe de divisão, ele mesmo, que não só era um dos homens mais charmosos, como também um dos mais cobiçados pelo sexo feminino. Nunca lhe iria perdoar tamanha afronta.

Tiago bem o pensou e melhor o fez, pois nos tempos que se seguiram, tudo fez no sentido de dificultar o trabalho de Luísa. Não só sendo um dos primeiros a zombar do seu companheiro, e amigo, Norberto, quando o namoro deste, com Luísa, foi tornado público, como também tentando colocar pequenos grãos de areia na engrenagem de tal namoro. A verdade é que se sentia despeitado pela preferência dada por Luísa ao colega.

Certo dia, Norberto, dirigiu-se a Tiago e entregou-lhe um envelope, era o convite para o seu casamento com Luísa. Tiago leu o convite, releu-o e não conseguiu conter o riso, afinal o seu companheiro era tão parolo quanto Luísa se queria fazer de sonsa, ele não via que aquilo não era mulher para ele, pelo que só podia haver por ali algo escondido.

O dia do casamento chegou e foi já após o copo de água que veio a grande surpresa. O pai da noiva pediu a atenção dos convidados, tomou a palavra e disse as palavras que deixaram Tiago sem capacidade de reação, o que na realidade já acontecera quando vira chegar Luísa à igreja:

- Caros convidados, é com imensa alegria que vos quero comunicar que a partir do próximo mês, entregarei a gerência da empresa “Modveste” à minha filha, pelo que terei de encontrar quem a substitua na chefia do departamento de pessoal.

Tiago não queria acreditar no que os seus ouvidos escutavam, Luísa não só era uma mulher linda, como ainda por cima era filha do seu patrão e iria passar a ser, ela mesma, a sua patroa.

Enquanto Tiago se arrependia de ter julgado Luisa pelo seu aspecto exterior, e não só, esta confidenciava a uma amiga:

- Sabes, é que enquanto algumas tentam comprar a felicidade com a sua beleza ou o seu dinheiro, a loja da minha Felicidade só vende aquilo que eu própria consegue produzir de genuíno.

 

Moral: “Felicidade não é aquilo que podemos comprar, mas sim aquilo que conseguimos conquistar.”

 

Francis Raposo Ferreira

30/10/2019

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Gestores Adm

    Não julgue o doce da fruta pela beleza da casca.

    Há lagos serenos cujas águas são venenosas.

    Excelente!

This reply was deleted.
CPP