Ser Poeta

 

Ah, como gosto de falar

Da vida que não é minha,

Mas também não é tua,

É uma vida feita de sonhar,

Onde nada se adivinha,

Vida de um qualquer da rua.

Ah, como é bom falar de mim,

Sem dizer nada de meu,

Nem meu, nem de ninguém,

Imagino uma vida e, enfim,

Falo do que nunca aconteceu,

Não aconteceu, sei lá bem.

Ah, viver vidas alheias

Dá-me um prazer sem igual,

Criar personagens imaginárias,

Poder dar-lhe novas ideias,

Ir aprimorando todo um visual,

Viver, nelas, paixões extraordinárias.

Ah, como é bom viver amores

Que nunca sequer existiram,

Saborear beijos nunca dados,

Falar de coisas profundas, dores

Por amores que nunca partiram,

Fazer poemas com versos trocados.

Ah, como é bom poder fingir,

Fingir que sou outro alguém,

Despir-me de minha identidade,

Chorar quando me apetece sorrir,

Conversar sem ser com ninguém,

Mas nunca perder minha liberdade.

 

Francis Raposo Ferreira

02/10/2019

Minhas Atividade

Francisco Raposo Ferreira posted blog posts
Segunda-feira
Francisco Raposo Ferreira commented on Francisco Raposo Ferreira's blog post Condado Portucalense
"Amiga Edith Lobato, boa noite. Não coloquei a autoria por se tratar de uma parte desse grande projecto chamado "Povo Lusitano". Beijinho.
 "
Domingo
Francisco Raposo Ferreira posted blog posts
Domingo
Francisco Raposo Ferreira posted blog posts
Sábado
Francisco Raposo Ferreira commented on Francisco Raposo Ferreira's blog post D. Carlos - O diplomata
"Amiga Edith Lobato, boa noite. Obrigado. Todos estes textos históricos fazem parte de um muito maior projecto literário, a história de Portugal desde a pré-história até aos nossos dias. BEijinho.
 "
Sexta-feira
Francisco Raposo Ferreira posted a blog post in Contos-e-Causos
Dia de Sonho  Aquele dia representava muito para aquela mulher, afinal era a concretização de um dos grandes sonhos da sua vida.Durante os seus quase sessenta anos já vivera momentos de verdadeira felicidade e realização pessoal, como por exemplo o…
Sexta-feira
Francisco Raposo Ferreira posted blog posts
Sexta-feira
Francisco Raposo Ferreira commented on Francisco Raposo Ferreira's blog post A Menina e a Sopa de Azeite
"Exacto. Beijinho.
 "
Out 17
Francisco Raposo Ferreira commented on Francisco Raposo Ferreira's blog post Povo Lusitano
"Amigo António Domingos Ferreira Filho, esta Lusa história que continua a encantar-me todos os dias. Abraço."
Out 17
Francisco Raposo Ferreira commented on Francisco Raposo Ferreira's blog post O Pulsar da Cidade
"Amigo António Domingos Ferreira Filho, poder ficar, logo manhã cedo, no cais das colunas a apreciar o enigmático nevoeiro sobre o rio Tejo, é algo de indescritivel. Abraço."
Out 17
Francisco Raposo Ferreira commented on Francisco Raposo Ferreira's blog post Regresso a Casa
"Amigo António Domingos Ferreira Filho, passear por Lisboa, faz-nos sonhar com mulheres bonitas e não só. Abraço.
 "
Out 17
Francisco Raposo Ferreira commented on Francisco Raposo Ferreira's blog post Canto meu Amor por Ti
"Amiga Angélica, amor é, sobretudo o mais, sensibilidade ao sabor da pele. Beijinho.
 "
Out 17
Francisco Raposo Ferreira commented on Francisco Raposo Ferreira's blog post à Espera do Amor
"Amiga Angélica, amar é assim mesmo. Beijinho.
 "
Out 17
Francisco Raposo Ferreira commented on Francisco Raposo Ferreira's blog post A Menina e a Sopa de Azeite
"Amiga Angélica, nem sei como te agradecer. Beijinho.
 "
Out 17
Francisco Raposo Ferreira posted blog posts
Out 17
Francisco Raposo Ferreira commented on Francisco Raposo Ferreira's blog post Hoje
"Amiga Angélica, quando fazemos as coisas com gosto, tudo nos faz mais felizes. Beijinho.
 "
Out 17
Mais…

Meu Blog

Comentarios

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Gestores Adm

    Seja bem vindo poeta Francisco.

    Para postar um poema no blog, basta clicar na palavra Publicções no menu acima, em sgeuida na página que abrir, no canto superior direito de sua tela, clique em Adicionar um post ao blog, o restante é intuitivo.

    Desejamos que te sintas bem neste espaço de poetas e poesias.

    Boa noite!

  • Políticos

    São mestres na arte de enganar,
    Prometendo medidas práticas,
    Chegada a hora de se explicar,
    Usam frases sábias, enigmáticas.

    Fazem promessas sem limite,
    Sabendo que não as vão cumprir,
    Pura arte de abrir o apetite
    A um povo que parece dormir.

    Eleitos, logo esquecem o povo,
    Traindo as juras à Lusa nação,
    Recomeçando tudo de novo.

    Voltam a ser ferozes críticos,
    Quando se veem na oposição.
    São os mestres, são os Políticos.

    Francis Rapposo Ferreira
    04/10/2019

  • Gestores

    3641395725?profile=RESIZE_710x

This reply was deleted.

Sobre Mim

Aniversário:

Setembro 14


1) Qual o teu nome completo?

Francisco Raposo Ferreira


3) Data de nascimento (não é necessário o ano)

14/09


4) Local de residência (apenas Cidade, Estado e País)

Lisboa - Portugal


5) Mini Currículo (trabalho, experiências, gostos e ou preferências, família, produção poético-literária...).

Sou um pedagogo que adora ler/escrever, prosa e poesia. Livros editados: A Força do Amor - Romance; Vidas Atrás das Grades - Romance; Alentejo, suas terras e suas gentes - Poesia.


6) Quem o/a indicou para a Casa dos Poetas e da Poesia (ou como ficou sabendo desta)?Cite o nome da pessoa que a/o indicou ou convidou.

Através da Internet


8) Está ciente que as poesias eróticas (caso as tenha), devem ser postadas no Grupo de Literatura erótica?

Sim


9) Concorda em participar e interagir conforme possa, com os demais membros nas atividades da Casa?

Sim


10) Está ciente que NÃO DEVE POSTAR mais que 3 (três) Mensagens por dia no Blog Geral?

Sim


11) Deixe o Link do Facebook, Recanto das Letras ou outro site onde possamos saber mais de você.

http://https://www.facebook.com/Francisraposoferreira


12) Publique neste espaço, uma Poesia ou texto de tua autoria. (não precisa ser extensa/o)

Ser Poeta Ah, como gosto de falar Da vida que não é minha, Mas também não é tua, É uma vida feita de sonhar, Onde nada se adivinha, Vida de um qualquer da rua. Ah, como é bom falar de mim, Sem dizer nada de meu, Nem meu, nem de ninguém, Imagino uma vida e, enfim, Falo do que nunca aconteceu, Não aconteceu, sei lá bem. Ah, viver vidas alheias Dá-me um prazer sem igual, Criar personagens imaginárias, Poder dar-lhe novas ideias, Ir aprimorando todo um visual, Viver, nelas, paixões extraordinárias. Ah, como é bom viver amores Que nunca sequer existiram, Saborear beijos nunca dados, Falar de coisas profundas, dores Por amores que nunca partiram, Fazer poemas com versos trocados. Ah, como é bom poder fingir, Fingir que sou outro alguém, Despir-me de minha identidade, Chorar quando me apetece sorrir, Conversar sem ser com ninguém, Mas nunca perder minha liberdade. Francis Raposo Ferreira 02/10/2019


Minhas fotos

Conquistas pela participação


Pontos ganhos: 8000

Grupos que participo

Minhas Discussões

Proxenetas

Proxenetas Fato às riscas, calça vincada,Gravata, camisa de seda,Dois de dedos de lábia ensaiada,E não há menina que não ceda. À noite, é vê-los a uma esquinaEm torno da rua das Pretas,Sempre de olho na sua menina,Não enganam, são os…

Saiba mais…

Autor em tela

CPP