Minhas Atividade

Alexandre Montalvan commented on Alexandre Montalvan's blog post Sinais
"Fico muito grato a todos amigos (as) e poetisass desta conceituada casa por estes carinhosos comentários um forte abraçoalexandre ""
Mar 7
Alexandre Montalvan posted a blog post
 SinaisEstenda o teu olhar pelapaisagem morta,sobre sonhos de planíciese seus contornos.Mesmo se tiver sorte você nãoverá o mar,apenas sentira o vento que balançaa relva e abre tantas portas. Comum sopro morno o rastrode seu corpo não importa,mas…
Mar 5
Alexandre Montalvan e Elzana Kátia Lima Mattos Ferrei agora são amigos
Mar 5
Alexandre Montalvan commented on Alexandre Montalvan's blog post Voo da Borboleta, Branca, Azul e Preta
"Grato poeta Antonio desta conceituada casa por tão bondoso comentario um forte abraçoalexandre"
Mar 2
Alexandre Montalvan commented on Alexandre Montalvan's blog post Voo da Borboleta, Branca, Azul e Preta
"obrigado poetisa Angelica desta conceituada casa por tão bondoso comentario um forte abraçoalexandre"
Fev 28
Alexandre Montalvan posted a blog post
Voo da Borboleta, Branca, Azul e PretaTenho em mim a chama que te calaa que te faz tropeçarnas palavrastu salta as ondas do mar, ondulandoa sua afogueada cararegião abissal alongada e clara.Brilha o sol a aquecer o poema,iridescente ao vomitar suas…
Fev 27
Alexandre Montalvan commented on Alexandre Montalvan's blog post Soneto Maluco
"obrigado a todos amigos desta conceituada casa por tão bondosos comentarios 
um forte abraço
alexandre
 "
Fev 22
Alexandre Montalvan posted a blog post
Resmunga o louco na sua demênciaPara, olha, ri e finge que escutaNo olhar brilha uma alegria imensaÉ tão livre e nada o imputaBate o louco o pé pura cadênciaÉ maestro com sua batutaQuem o vê assim, logo pensaPobre homem parece biruta!Como assim? É…
Fev 20
Alexandre Montalvan posted a blog post
Voltar a Ser CriançaDa rede em que me balançoDe tudo já vi um poucoTantos e tantos imbrógliosQue já não os tenho mais na lembrança.Eu sei, os escondi. AquelesQue me espantavam, negrumesPardos, enquadres e damasQue o diabo me leve, mas não presonuma…
Fev 9
Alexandre Montalvan posted a blog post
Murmúrio das ÁguasCala-me, a última sensação da almacerta que as palavrasnão são ditas sem sentido,logo que se apure os ouvidos.Uma linguagem descabida então?Não!Esta além das carnes, pele e músculos.Esta nos amores quenão são maisdeste mundo,na…
Fev 4
Alexandre Montalvan e Desi Gners agora são amigos
Jan 28
Alexandre Montalvan posted a blog post
Soneto do Amor ProibidoDiz-me querida que eu te persigocomo o colibri persegue a florque não quero sentir o perigoao me entregar a este louco amorEu bem sei de mim e não consigoconter o meu lado pecadoreste amor que é proibido eu maldigoenraizado em…
19 de Dez de 2019
Alexandre Montalvan posted a blog post
minha almaalma minha almaque fazes contida neste corpoimpuro que nas linhasque em minha mão se espalmatal qual um leque de luzes e trevasnas ondas das verdes relvasalma minha almaperdida nesta lúgubre prisãosem asas sem arno céu na mais completa…
10 de Dez de 2019
Alexandre Montalvan posted a blog post
 O Último GritoLábio! vem no teu ultimo grito de guerra,na loucura de devanearsabia o amor ao abrir sua janela,a fuga da luz para as sombras da terra,e a penumbra espreita as raízes, a paixão.Do riso agudo ao cume do penhasco,as pedras que rolam no…
9 de Dez de 2019
Alexandre Montalvan posted a blog post
Deus Morto???Ai meu Deus, esta é a minha facetoda cheia de verdadesmas a verdade é nenhumaexceto apenas umatu começas a morrer assim que nasceFiz de uma casa um continentecheia de cômodos e uma cozinhaperdida coitadinha, encolhida e profundae a toda…
2 de Dez de 2019
Alexandre Montalvan posted a blog post
DecadênciaChegamos ao meio, entre o branco e o pretohouveram infinitos amanheceres. Eramos um tubo de ensaio,eu e você permeávamos o tédio entre abril e maio.Havia doçura mas não mais prazer, éramos jovenseu sabia, e a cada amanhecer já não havia…
26 de Nov de 2019
Mais…

Soneto Maluco

Resmunga o louco na sua demência
Para, olha, ri e finge que escuta
No olhar brilha uma alegria imensa
É tão livre e nada o imputa

Bate o louco o pé pura cadência
É maestro com sua batuta
Quem o vê…

Saiba mais…

Comentarios

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

This reply was deleted.

Sobre Mim

Aniversário:

Fevereiro 3


1) Qual o teu nome completo?

Alexandre Montalvan


3) Data de nascimento (não é necessário o ano)

03.02.1956


4) Local de residência (apenas Cidade, Estado e País)

são paulo - sp


5) Mini Currículo (trabalho, experiências, gostos e ou preferências, família, produção poético-literária...).

Comecei a escrever a aproximadamente uns 5 anos, como uma forma de terapia e não consegui mais parar. Eu posto meus poemas no Peapaz, Recanto das Letras, Luso poemas, aprendi também a criar vídeos com meus poemas e tenho uma pagina com aproximadamente 90 vídeos no you tube.


6) Quem o/a indicou para a Casa dos Poetas e da Poesia (ou como ficou sabendo desta)?Cite o nome da pessoa que a/o indicou ou convidou.

Ninguem me indicou


8) Está ciente que as poesias eróticas (caso as tenha), devem ser postadas no Grupo de Literatura erótica?

Com certeza


9) Concorda em participar e interagir conforme possa, com os demais membros nas atividades da Casa?

claro que sim


11) Caso possua, deixe o Link do Facebook, Recanto das Letras ou de qualquer outro site onde possamos saber mais de você.

http://www.facebook.com/alexandre.montalvan2


12) Publique neste espaço, um pequeno texto, que considere poético. Pode ser inspirado na hora. Não precisa que seja algo que tenha sido publicado. De certo modo: TODOS somos Poetas!

Folhas Mortas Tudo o que existe no mundo tem o gosto da angústia do enorme vazio da solidão folha seca a boiar no mar em suaves vens e vão. Um disforme desespero sem sentido transparece em minhas tremulas mãos eu não sei onde foi que se perdeu o meu triste e corroído coração. Tantas são nuvens de rumo incerto que fazem o vento urrar como leão a alma secar no sol em um deserto e morrer de tristeza e desilusão Em tudo são apenas folhas mortas no vento em redemoinho de aflição e rodopiam silenciosas e não importa a dor que há em meu pobre coração. Alexandre Nas Sombras do Teu Olhar Escuros e profundos abismos eram os teus olhos, tão negros misteriosos na noite, anseios delicados sussurros roubados mas embriagantes e brilhantes preciosos perenes pecados. As cascatas de estrelas no céu eram cor de fogo em teus cabelos e esvoaçavam ao vento feito véu e flutuavam em meus pensamentos Em teu ar floresceram enigmas no teu céu pétalas de rosas em teus mares negros estigmas fruto de sonhos, dores pavorosas. Inatingível era o teu coração granito triste na terra suada alcova mágica sonhos e paixão e no olhar apenas uma sombra velada. Montalvan


Conquistas pela participação


Pontos ganhos: 5634
Recebido:
9 de Fev de 2020

Grupos que participo

CPP