Minhas Atividade

Alexandre Montalvan posted a blog post
Dois CorposQuando dois corpos se encontramnum roçar de ondas eloquentesem um oceano de toques ardentesse elevam vertiginosamente.É um arrepiar de um tesão infinitode toques suaves e ternosaté os astros ressoam irrestritosneste sentido de prazer…
Out 23
Alexandre Montalvan posted a blog post
Não há nenhum conforto na solidãoapenas os demônios nos consomema dor acompanha gemidos sem sonslagrimas não rolam no rosto do homemInsaciáveis as fagulhas do coraçãoo abandono somente nos traz a fomeé fogo que queima os braços, as mãosa beira de…
Out 15
Alexandre Montalvan posted a blog post
Soneto da PaixãoTeu corpo jogado desnudo na camaidílico sonho devaneio obscuroAs tuas carnes alvas do tom o mais puroexplodem fundo na alma que pensa que amaÉ paixão indomável é apenasmente istocintilando como o sol, mas sem seu brilhoÉ relâmpago…
Set 7
Alexandre Montalvan posted a blog post
Amo Você! Sobre a relva, suave caminharA cada passo eu penso nelaRosas vermelhas perfumam o arAmor... realidade ou quimera? Mas quem sabe um dia... `Eu penseiEu crio coragem e digo a elaSerá este um amor que eu inventei?Um romântico enredo de…
Jul 9
Alexandre Montalvan posted a blog post
 Nada que se escreve é plenoas letras esculpidas são feitas de medomas o rosto que me falaé o que me mostra o espelhoe fala como a dizer um segredoO vento não faz dançar a areiana praia branca dos teus olhos negrosonde ondas estraçalham rochedosonde…
Jul 6
Alexandre Montalvan e NORMA SILVEIRA MORAES agora são amigos
Jun 5
Alexandre Montalvan posted a blog post
Bate na porta da mortea inocente flor que nem bem nasciana dor da guerra mais sombriapuro anjo inconsequenteBusca o leite seco a flor, mas nem o aré-lhe vertente e ela apenas sofria faltava tudo mesmo neste diaela então procura a morte impacienteE…
Jun 5
Alexandre Montalvan commented on Alexandre Montalvan's blog post Sinais
"Fico muito grato a todos amigos (as) e poetisass desta conceituada casa por estes carinhosos comentários um forte abraçoalexandre ""
7 de Mar de 2020
Alexandre Montalvan posted a blog post
 SinaisEstenda o teu olhar pelapaisagem morta,sobre sonhos de planíciese seus contornos.Mesmo se tiver sorte você nãoverá o mar,apenas sentira o vento que balançaa relva e abre tantas portas. Comum sopro morno o rastrode seu corpo não importa,mas…
5 de Mar de 2020
Alexandre Montalvan e Elzana Kátia Lima Mattos Ferrei agora são amigos
5 de Mar de 2020
Alexandre Montalvan commented on Alexandre Montalvan's blog post Voo da Borboleta, Branca, Azul e Preta
"Grato poeta Antonio desta conceituada casa por tão bondoso comentario um forte abraçoalexandre"
2 de Mar de 2020
Alexandre Montalvan commented on Alexandre Montalvan's blog post Voo da Borboleta, Branca, Azul e Preta
"obrigado poetisa Angelica desta conceituada casa por tão bondoso comentario um forte abraçoalexandre"
28 de Fev de 2020
Alexandre Montalvan posted a blog post
Voo da Borboleta, Branca, Azul e PretaTenho em mim a chama que te calaa que te faz tropeçarnas palavrastu salta as ondas do mar, ondulandoa sua afogueada cararegião abissal alongada e clara.Brilha o sol a aquecer o poema,iridescente ao vomitar suas…
27 de Fev de 2020
Alexandre Montalvan commented on Alexandre Montalvan's blog post Soneto Maluco
"obrigado a todos amigos desta conceituada casa por tão bondosos comentarios 
um forte abraço
alexandre
 "
22 de Fev de 2020
Alexandre Montalvan posted a blog post
Resmunga o louco na sua demênciaPara, olha, ri e finge que escutaNo olhar brilha uma alegria imensaÉ tão livre e nada o imputaBate o louco o pé pura cadênciaÉ maestro com sua batutaQuem o vê assim, logo pensaPobre homem parece biruta!Como assim? É…
20 de Fev de 2020
Alexandre Montalvan posted a blog post
Voltar a Ser CriançaDa rede em que me balançoDe tudo já vi um poucoTantos e tantos imbrógliosQue já não os tenho mais na lembrança.Eu sei, os escondi. AquelesQue me espantavam, negrumesPardos, enquadres e damasQue o diabo me leve, mas não presonuma…
9 de Fev de 2020
Mais…

Soneto Maluco

Resmunga o louco na sua demência
Para, olha, ri e finge que escuta
No olhar brilha uma alegria imensa
É tão livre e nada o imputa

Bate o louco o pé pura cadência
É maestro com sua batuta
Quem o vê…

Saiba mais…

Comentarios

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

This reply was deleted.

Sobre Mim

Aniversário:

Fevereiro 3


1) Qual o teu nome completo?

Alexandre Montalvan


3) Data de nascimento (não é necessário o ano)

03.02.1956


4) Local de residência (apenas Cidade, Estado e País)

são paulo - sp


5) Mini Currículo (trabalho, experiências, gostos e ou preferências, família, produção poético-literária...).

Comecei a escrever a aproximadamente uns 5 anos, como uma forma de terapia e não consegui mais parar. Eu posto meus poemas no Peapaz, Recanto das Letras, Luso poemas, aprendi também a criar vídeos com meus poemas e tenho uma pagina com aproximadamente 90 vídeos no you tube.


6) Quem o/a indicou para a Casa dos Poetas e da Poesia (ou como ficou sabendo desta)?Cite o nome da pessoa que a/o indicou ou convidou.

Ninguem me indicou


8) Está ciente que as poesias eróticas (caso as tenha), devem ser postadas no Grupo de Literatura erótica?

Com certeza


9) Concorda em participar e interagir conforme possa, com os demais membros nas atividades da Casa?

claro que sim


11) Caso possua, deixe o Link do Facebook, Recanto das Letras ou de qualquer outro site onde possamos saber mais de você.

https://www.facebook.com/alexandre.montalvan2


12) Publique neste espaço, uma poesia ou texto de sua autoria.

Folhas Mortas Tudo o que existe no mundo tem o gosto da angústia do enorme vazio da solidão folha seca a boiar no mar em suaves vens e vão. Um disforme desespero sem sentido transparece em minhas tremulas mãos eu não sei onde foi que se perdeu o meu triste e corroído coração. Tantas são nuvens de rumo incerto que fazem o vento urrar como leão a alma secar no sol em um deserto e morrer de tristeza e desilusão Em tudo são apenas folhas mortas no vento em redemoinho de aflição e rodopiam silenciosas e não importa a dor que há em meu pobre coração. Alexandre Nas Sombras do Teu Olhar Escuros e profundos abismos eram os teus olhos, tão negros misteriosos na noite, anseios delicados sussurros roubados mas embriagantes e brilhantes preciosos perenes pecados. As cascatas de estrelas no céu eram cor de fogo em teus cabelos e esvoaçavam ao vento feito véu e flutuavam em meus pensamentos Em teu ar floresceram enigmas no teu céu pétalas de rosas em teus mares negros estigmas fruto de sonhos, dores pavorosas. Inatingível era o teu coração granito triste na terra suada alcova mágica sonhos e paixão e no olhar apenas uma sombra velada. Montalvan


Conquistas pela participação


Pontos ganhos: 6249
Recebido:
9 de Fev de 2020

Grupos que participo

CPP