Inspirações

Entrando na casa, senti o seu  perfume

Pela porta entreaberta

Vi a toalha branca sobre a cama

Aproximei-me e vi que estava molhada

Encostei-a em minha face

Era o mesmo perfume que senti

Ao adentrar á porta.

Aspirei aquele aroma como se nunca o tivesse feito

Como é bom sentir o perfume da pessoa amada

Que adentra em nosso ser e parece não querer sair mais.

Joguei-me na cama e esperei

Ele apareceu, joguei-lhe a toalha com força

Pois mostrava seu esbelto corpo

Á prova de qualquer teste, lindo e perfeito

Se  aproximou, pulou sobre mim

Rindo com aqueles dentes alvos e alinhados

Onde eu já o esperava com minha lingerie preta

Com rendas sedosas e alguns adereços brilhantes

Era a primeira vez que a usava e me sentia bem

Ele elogiou e me disse que não precisava tudo aquilo

Rimos os dois, e alegres nada mais restou

Entre beijos e abraços deu-se o ritual do amor.

Sabíamos que éramos um do outro

Não havia ciúme e nem perguntas

Só juras de um imenso amor!

Veraiz Souza

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Veraiz Souza - Pai -

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Passo a passo... cada momento um largo espaço de tempo que a expectativa vai preenchendo.
    Aqui e ali, um detalhe que insinua todo o resto do íntimo universo.
    Face a face, olhos nos olhos - boca em boca... o amor se dando e se recebendo.
    E cada palavra recolhida pontua de estrelas a noite nos olhos de quem ama.
    Sua prosa vem com a marca inconfundível do romance. Um requinte tipicamente seu, Veraiz!

    • Oi Edvaldo, bom dia de sábado do da 10/03/2017

      Vim procurar um poema para gravar para o programa da Webrádio e vi sua mensagem aqui, dessa data.

      Me perdoe não ter respondido, nessa data a mãe estava no Hospital e eu quem ficava com ela, até três dias sem ir para casa.

      Vi seu carinhoso comentário e não pude deixar de lhe escrever e agradecer pelas palavras descrevendo meu poema.

      Fico lisonjeada com tais palavras e me sinto muito feliz, vindo de voc^, um professor de Literatura analisando meu trabalho tão positivamente.

      Grata viu, pelo carinho, pela visita e comentário, por tudo e me desculpe mais uma vez.

      Abraços poéticos de Veraiz Souza

  • Cumprimentos pelo fogo maravilhoso que enche a alma de animação e de desvelo. Veraiz tudo bem? Passei aqui para te parabenizar pelo poema que está muito belo em sua essência dominadora!

    • Oi SAM me desculpa também pelo não agradecimento ao comentário ao meu poema. Nesse dia eu não estava bem não.

      Como disse ao Edvaldo, nesse dia eu estava com  minha mãe no Hospital e não vi o comentário de vocês.

      Vi hoje, procurando um poema para declamar no programa da Webrádio.

      Grata pela visita e comentário  que sugere que eu excreva mais poemas desse tipo...rs

      Que bom que gostou.

      Abraços poéticos de Veraiz Souza

  • Em ler essa delicia de poema excitante, não pude conter em deixar esse interação. UM POEMA DOCE AMÁVEL, GOSTOSO, Confesso aqui, que uma calcinha de renda preta é o meu ponto fraco. amo

    Amo esses nossos momentos onde os sentidos se entrelaçam 

    Nossas bocas em beijos se fogaça.

    Lhe abraço, sinto o cheiro de tu pele

    Minhas mãos corre pelo teu corpo

    Sinto teu respiro

    O silêncio dos seus gemidos,

    Falo coisas em vossos ouvidos

    Vivemos fogosamente, aquele amor em nós contidos 

    José Carlos ribeiro 

    • Oi José Carlos Ribeiro, bom dia de sábado, 10/03/2018

      Passando por aqui vi essa maravilha que fizeste em meu poema e o Dueto que ficou maravilhoso.

      Eu falei ao Edvaldo e ao SAM o motivo porque não respondi ao comentário de vocês. Vi hoje e peço-lhe desculpas.

      Nesse dia estava com minha mãe no Hospital.

      Agradeço tudo ..as palavras de carinho, o poema, a visita, tudo...

      Abraços poéticos de Veraiz Souza

This reply was deleted.
CPP