COSTUMES

O que orbita entorno ao teu coração

Reconforta esse peito descuidado

Aproxima-te da minha terra impura

Revive meu jardim já desbotado

 

Tomando aflições por bons costumes  

Somos parte intrínseca que partilha e ama

Sentimentos diversos sob efeitos divergentes

- Se tua luz me aclara minha lua te chama

 

Todo o todo em nós é pragmático infinito

Universo muito aquém de simples mundos

Descabendo as retrações dos próprios polos

 

Há quem denomine ilógico destino

A teimosia eclodir densa ternura

Das nossas unhas roçando os mesmos poros

 

PSRosseto

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Paulo Sérgio Rosseto

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • ... " Das nossas unhas roçando os mesmos poros... " Uau! Meus parabéns, meu caro poeta! Um primor de poema concebido em um momento de rara inspiração! Amei! Deus te abençoe. 

  • Gestores

    136797743?profile=RESIZE_930x

This reply was deleted.
CPP