Infinitude dos devaneios

Infinitude dos devaneios.

Busco na vida razão pra viver,
Vasculho no tempo, palavras lindas
e caminhando por trilhas infindas
encontro na poesia o bel-prazer.

Na infinitude dos meus devaneios
No sonho sonhado ainda lembrado:
Vejo pássaros cantores no prado,
na relva macia estão meus anseios.

Então, a poesia vem de tudo e em cores.
Traçada com esmero exala amor:
Transmite o sentir com muito fervor.
Chega a mim com perfume de flores.

Saúda o dia desde o amanhecer.
Sublima o Ser, a alma e o coração
Enobrece o mais forte da Criação
O homem que crê, ajoelha a agradecer.

Presente belíssimo que é poder ver
Toda beleza que há na natureza;
Ouvir o murmúrio da correnteza
e a mente fértil o verso tecer…

Assim a poesia é parida e canta:
a melodia dos anjos do céu
Em silêncio espalha aos poucos ao léu
O poeta desfruta do que o encanta.

Márcia A Mancebo

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Mais um soberbo poema Márcia.

    Deleito-me desfrutando o silêncio que nas suas

    palavras, tudo encanta.

    Bem haja

    FC

    • Obrigada, Frederico!

  • Gestores

    7938886291?profile=RESIZE_584x

    • Obrigada, Angélica!

      Bjs

  • Que lindo amiga Marcia, poesia e natureza, junções perfeitas, luz mágica que ilumina o nosso ser e viver... Amei ler-te, aplausos mil... Tenha uma abençoada semana, com muita paz e luz. bjs

    • Obrigada, Glaucia!

      Bjsss

This reply was deleted.
CPP