MÃE

MÃE

  Jurandir Argôlo

 

 

Mãe

Mãe, sempre mãe

Eita nome pesado de carregar

Tão leve quando da boca para fora

Mãe

Eita nome que vale uma escola

Uma escada de infindos degraus

Nunca fim de jornada

Esteio para tantas caminhadas

Às vezes incompreendidas, mal amada

Quantas vezes salvação em meio a tantas ciladas

Mãe

O berço de tantos largos sorrisos

Tantos os improvisos

Dá a luz

Cria a quem nem sempre dá valor

Quantas dores e suplícios

Os sacrifícios engendrados

Os doces tão amargos

As lutas incessantes em meio a resultados inglórios

Mãe

Tantos motivos para foguetórios

No entanto sofre 

Crava sua bandeira nem sempre vista

Às vezes, quando lembrada, a última na lista

Quando deveria ser a primeira

Bendita com direito a louvor

Quanta dor suporta

Quanta hipocrisia em bocas alheias

Tanto significado lançado fora

Mãe

Eita nome pesado para se levar

Tão leve no propósito de amar

Faz das tripas coração

Para criar o filho tantas vezes sem visão

Passa fome

Se consome, se desdobra

Não liga se a prole não passa de cobra

Se não vale nada

Não dá às costas, se sacrifica mesmo levando pernada

Tantas vezes calada, oprimida

Chora pelos caminhos nem sempre vendo uma saída

Ainda sim insiste

Persiste, não desiste

Mesmo com o olhar triste 

Mãe

Eita nome pesado demais

Tão leve e tão enxuta

Mulher que jamais abandona uma luta

Que não é nome sobre todo nome

Todavia tem seu espaço no regalo do PAI

Um nome que não trai

Uma escada de infindos degraus

Nunca fim de jornada

Tem sempre uma palavra de afeto

Mesmo o filho não estando certo

Tão perto e colocada longe por interesses

Invisível prece sempre alenta

Como será que aguenta tanta submissão?

Mãe

Eita nome pesado de carregar

Tão leve quando da boca para fora

Firme diante daquilo que denigre

Altiva quando atenta o fracasso

Não existe melhor acolho, maior abraço

Mãe, sempre escudo

Mãe, motivo sempre júbilo

Mãe, sempre mãe

Mãe...

 

 

 

 

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • ""Mãe

    Eita nome pesado de carregar

    Tão leve quando da boca para fora

    (...)

    Mãe, sempre escudo

    Mãe, motivo sempre júbilo

    Mãe, sempre mãe

    Mãe...""

     

     

    NOSSAAAA........ que maravilhoso poema!!! Sublime e VERDADEIRO! tão tão verdadeiro ...... estou sem palavras... sinto-me pequena perante as suas palavras...

    beijos de poesiaaaa

    chantal fournet

    8942504458?profile=RESIZE_584x

  • Texto bonito, gostei

  • Gestores

    Muio bonito. Texto bastante completo para as diversas figuras de mães em uma única linguagem.

  • Prezadíssimo MESTRE Poeta/escritor e muito: Jurandir Argolô! Mais uma vez por aqui, agradecendo pelo belo e incentivante compartilhamento! E Sigamos, por essa nossa quarentena', desfrutando desses esmerados compartilhamentos, cuidando-nos e cuidando de todas as pessoas, com as quais temos a satisfação de, de forma constante ou esporádica, seguimos interagindo! Philia e Namastê!

This reply was deleted.
CPP