Inspirações

o trem do medo

 

O trem do medo


Hoje  levantei mais cedo

para falar do trem do medo.

Não sei  se faço mal, ou bem.

Já não posso guardar o segredo.

Porém, a  ninguém aponto o dedo.

É um velho  enredo de ameaço-ledo.

Então,  procuro cumprir minha missão.

Aquela de escrever com o puro coração.

Porém, eu sinto a ameça também.

Até se me parece desastre dum trem

como deste fundo, um clarão vem,

vindo profundamente do mundo

do  além, porém, com alguém

rotundo, tomando o espaço.

E a mente da gente mente;

tal qual  como ninguém,

mostrando  o fracasso.

Fazendo  total mistura

como o alinhavo de costura,

entrelaçando  o mal com o bem.

Nessa entretela coloca-se na tela

uma ossada  divina  e completa.

Porém, nada tem de discreta

como se fora de um atleta.

Dela se  tira uma costela

fazendo-se dela a mazela;

procriação do pecado-trem.

Acho-me  em elevado degredo

enlevado pelo  pensamento-medo,

exaltado com  o trem já imaginado.

Ele não vem de frente, vem de lado

de vermelho-sangue pintado.

Enlevo de mente levada,

demente e quase parada,

mal-educada à malcriada.

Pensando no estrago desse pecado,

forçado  à descarga  de privada,

fico  privado  e desequilibrado.

Pareço um trem descarrilado.

Na  minha  visão aquilina,

de  duas  velhas  meninas,

e como velhas inquilinas

de um olhar apaixonado

por um lar assombrado,

Apesar de assobradado.

Vê-se esse bicho vir de lado.

Desguarnecida, vê de cima

duma   encanecida   cabeça

sem prever  que nela desça

um jato,  que vem do astro,

e que disto ela padeça.

É como o valor do amor,

não dá pra ser mensurado.

Isto tudo não é engraçado?

Quanta bobagem,

essa costela é a mãe

que tem a bela coragem

de se doar a gregos e alemães

e do planeta fazer a contagem.

 

Enquanto o trem passa;

tropeçamos no pecado.

 

jbcampos

 

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Magnífica Composição, Gigante Poeta... Aplausos Mil!

    • Obrigado, caro Alcebíades, sempre me dando forças.

      Aquele abraço.

    • O que é Belo tem de ser Exaltado, poeta João Batista... Impressionantes são as suas Obras. Grande Abraço!

    • Grato, querida Marcia pelo encômio.

      Bjs.

This reply was deleted.
CPP