Inspirações

Os Ponteiros da Vida

Ponteiros da vida

 

O rodar dos ponteiros não me interessa,

Tal qual o avolumar das horas, dos dias,

Agora, só quero viver a vida sem pressa,

Sem ódios, intrigas, raivas ou correrias.

 

Ao meu relógio, deixei de dar corda,

Que o cuco não saia mais para cantar,

Despertador não é mais quem me acorda,

Acordo só quando me apetece acordar.

 

Deito-me quando o mundo ainda desperta,

Levanto-me somente quando me apetecer,

Dormirei de janela fechada, ou aberta.

 

Os ponteiros do relógio sobem e descem.

Eu, limito-me, simplesmente, a viver.

Esperando por amigos que não se esquecem.

 

Francis Rapposo Ferreira

09/10/2019

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

This reply was deleted.
CPP