PAI - Crônica - Veraiz Souza


O chamado é longo e baixinho, pois o papai está dormindo.

Mesmo assim há o sobressalto ...é a voz do filho
Pula da cama, como que se fosse salvar alguém de um eminente perigo

Mas é só o chamado do filho que está com frio e não pegou as cobertas.

Com o coração aos pulos, vai e abraça aquele pequenino ser, que é tudo para ele.

Cobre-o com carinho e encosta-se para aquecer ainda mais o ente amado.

Não tem palavras para dizer desse sentimento

O amor de pai é inexplicável.

Quando o filho adolescente faz algo que aborrece um pouco e precisa de algumas palmadas

A dor é grande em seu coração, antes não as tivesse dado. Não tem volta.

E a tristeza em ver o filho chorando é mais inconsolável a ele, que se tranca no quarto para chorar também.

Alegria imensa quando o filho já jovem sai da Faculdade com seu Diploma e o entrega ao pai.

O coração salta-lhe a boca...

-Não é que o danadinho escolheu a mesma profissão que a minha?

Incontáveis alegrias, felicidades que não acabam mais.

Hoje comemorando esse Dia Especial, tudo vem à lembrança.

Uma lágrima rola, será de felicidade?

Certamente, pois ser Pai é a coisa mais maravilhosa desse mundo.

 

Feliz Dia dos Pais a todos os papais dessa Casa.

Veraiz Souza - 12/08/18

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Veraiz Souza - Pai -

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

This reply was deleted.
CPP