Saudades

Saudades

Amei-te sem saber que amava tanto,

Nunca tinha sofrido de amor,

Na inocência desse todo encanto,

Deixa-me em pranto toda esta dor.

**

Dei-te de mim o meu quase tudo,

Sem sequer supor que era amor,

Amei-te num silêncio mudo,

Que ainda fere e dói o interior.

**

Oh...como sofri com a tua partida,

Um sofrimento para toda vida,

Que lentamente morro por ti.

**

Para sempre ficam as saudades,

Não passam com os anos, nem as idades,

Tu és o amor maior que eu já vivi.

**

Cristina Ivens Duarte 18/05/2018

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Cristina Ivens Duarte

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Gestores Adm

    Que prazer imenso ler-te, Cristina.

    A sintonia do teu poema com esta imagem ficou maravilhosa.

    Parabéns!

    Bom te ter de volta.

  • Cris, que lindo poema! Belíssima inspiração!

    Bom dia! Bjs.

  • Bonito poema em constraste com a saudade.

    Um abraço, Adriano

  • Muito lindo, romântico e sentido!

    Já sentia saudades de sua poética ímpar e seu talento mais que especial. 

    Amei!

    Beijos!

    Nina

  • Que lindo Cristina,affffffffffffff

    Emocionada eu aqui com seus versos

    Aplausossssssssssss

    Beijosssssssssss

  • Mas este povo de além mar escreve muito bem!
    Tadinho de mim que fui me meter aqui entre estes gigantes da poesia...
    Cristina querida, aceite por favor os meus mais sinceros aplausos,
    és sem dúvida uma poetisa de grande talento!

    Beijos, Marcos.

    17591389?profile=original

  • Que lindo Cristina...voce é muito talentosa. Parabéns! Um beijo.

This reply was deleted.
CPP