Inspirações

TATEAR

Não se sabe se são os pensamentos

Que conduzem os dedos

Ou as mãos acostumadas sozinhas

Aos intensos dos carinhos caminheiras

 

Certo é que os tatos se desprendem

Despindo dos segredos

Por singelas ruas do corpo

Explorando seus caminhos

 

Olha as calejadas palmas desse peão

Tem a mesma ranhura do casco da boiada

A pele dura rude enrugada

Queimada no laço de sal

Do suor da tarde ensolarada

 

Essa mesma textura tem o coração

Cheio de saudade apertada

Compacta no peito

Enfurnada na alma

Feito bicho na toca dentro da agua

Rodeado de destino sem morada

 

Mas quando ama e trata o amor

Imaginando-me na penumbra enluarada

A minha mão meu bem cheia de viço

Tão nua e certa é a tua namorada

 

PSRosseto

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Paulo Sérgio Rosseto

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

This reply was deleted.
CPP