Sangre de luna

Ése oriente llora sangre de luna...

Se queda muda porque solo implora

nuestro “basta ya”. Hedor de cadáver,

 éste "Fuera cruces, estrellas, metrallas..."

Con la sinrazón ahogando su grito

sigue su reflejo de esperanza al sol.

Una en tu sentir y tu espantoso hastío.

¿Cuándo acabará tanto horror y error?

Es la maldición del odio y ceguera,

de enfermas banderas, mercantiles,  fatuas,

que envenenan pueblos con falsas quimeras.

Llora luna... Llora.

Llora ensangrentada,

menguante, estrellada.

En cruz o en esfera...

(¿Puede que sea ella el cofre de Pandora

y siga preñada con nuestra Esperanza?)

.

NIEVES MERINO GUERRA

 GRAN CANARIA- ESPAÑA

 06-02-2013

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Nieves

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Gestores Adm

    Arrepia-me completamente este teu poema. Mexe com minha emoção. Lindo!

    3580862?profile=original

    • Muito obrigada minha meiga amada da alma.

       A mim também me afecta demais...

      Mas nunca vou deixar de escrever e tentar que -sem não a absoluta Paz,  sou realista-  minimo se consiga menos violencia e mais raciocionio e ética na gente...

       Por propria sobrevivencia da Humanidade.

       Cada pessoa morta de forma não natural  é uma morte para todos e que afecta a todos. Não sei quando seremos conscientes disso.

      Mas insistiré em dizer-lho e escrever-lho até meu ultimo alento.

       Beijos, meu tesouro amado.

  • This reply was deleted.
    • Safira!!!

       Santa María, que beleça!!!!

       Nossa, até parece diferente!!!

       Diste a força que eu desejava só com as cores e a imagem!!!!!

       Muitissimo obrigada ,minha princesa da alma minha.

       Te amo demais.

       Miles de beijos com todo o coração.

  • Gestores

    Que coisa mais linda, mosqueteira! Bjs

    • Obrigada minha linda e amada Mar.

       Miles de beijos.

       

This reply was deleted.
CPP