Adm

I Oficina de Rondel sobre mote

Rondel O Rondel é um gênero de poesia francesa. Sua forma é sempre a mesma, não varia nunca.

É formado por duas estrofes de quatro versos e uma de cinco versos, nesta mesma ordem.

Pela maneira que é estruturado, o Rondel irá sempre ter apenas duas rimas. As rimas são: ABAB/BAAB/ABABA.

Tem uma peculiaridade: os dois primeiros versos da primeira quadra vão ser os dois últimos versos da segunda quadra.

Temos que cuidar ainda, que o primeiro verso da primeira quadra será o último verso do poema (da estrofe de cinco versos).

A preferência do versos é de sete ou oito sílabas poética (não é rígido), portanto pode ser feito em verso livre, só não pode ser verso quilométrico.

Exemplo

Desilusão

  Sofri por amor, mas meu pranto secou-se, (A)

          Nas íngremes margens da desilusão! (B)

           Amargo meu peito de dor exilou-se,  (A)

         Nas grutas profundas da dor, solidão. (B)

             Tornei-me rascunho, mera ficção,   (B)

      E apenas tristezas o tempo me trouxe.  (A)

Sofri por amor, mas meu pranto secou-se, (A)

         Nas íngremes margens da desilusão!  (B)

         De todo esse amor que era tão doce, (A)

         Ficaram lembranças caídas ao chão. (B)

                  Mas a poesia não congelou-se   (A)

           E brota do fundo do meu coração.    (B)

Sofri por amor, mas meu pranto secou-se! (A)

Edith Lobato

A oficina funcionará do segeuinte modo:

Será deixado um mote de um verso para o participante se inspirar ou usar este verso como começo do seu rondel, quando postar sua composição, deve deixar outro mote em tela para o próximo partiicpante.

Regras

1. Todos os membros podem participar.

2.Permitido comentários sem imagem.

3. Permitido formatação dos poemas

Boas composições!

 

 

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Mote em tela

    Em teus braços passos horas incríveis

  • Comigo não.

    Nesse jogo de ilusões eu não aposto.
    Não arrisco meus sentimentos em brincadeiras,
    Não faço nada que não quero, a contragosto,
    Com calma esperarei uma paixão verdadeira.

    Pois, quando amo, dou-me por inteira.
    Não quero dar ao coração nenhum desgosto,
    Nesse jogo de ilusões eu não aposto,
    Não arrisco o coração em brincadeiras.

    Há tempo esse jogo de ilusão foi deposto,
    Crer na sorte acho ser uma grande besteira,
    Se me apaixonar demasiadamente gosto.
    E, se for abandonada é uma choradeira,
    nesse jogo de ilusões eu não aposto.
    Márcia A Mancebo
    (16/01/19)

  • Adm

    Próximo mote

    Nesse jogo de ilusões eu não aposto

     

  • Adm

    Sonho

    Eu estava lá, vendo teus olhos fechados,
    e tu dormias sem saber-me ali, presente.
    Não viste em meus olhos, amargurados,
    a saudade que o coração teimoso, sente.

    Tua face eu toquei e tua pele quente,
    trouxe lembrança de nós dois emparelhados.
    Eu estava lá, vendo teus olhos fechados,
    e tu dormias sem saber-me ali, presente.

    Sem mover-me, tendo os olhos alagados,
    num punhado de luar tão trasnparente,
    viajei para teus braços adorados,
    bem na hora em que acordei e crente,
    eu estava lá, vendo teus olhos fechados.

    Edith Lobato - 15/01/19

    • Sonhando...

      Eu estava lá vendo teus olhos fechados
      E tudo era calmo, os pássaros calados,
      Na relva uma tênue bruma e no céu a lua,
      Com sua alva luz à tingir tua pele nua.

      O teu sono sereno a minh'alma velava,
      E de tanto amor, embriagada ela sonhava,
      Eu estava lá vendo teus olhos fechados,
      E tudo era calmo, os pássaros calados.

      Mas eis que num suspiro tua boca entreaberta,
      O meu nome chamou com tão doce ternura,
      Foi então que eu vi a tua linda alma desperta,
      Um sorriso é a lembrança que pra sempre dura,
      Eu estava lá... vendo teus olhos fechados.

      (Marcos - 15/01/2019)

  • mote em tela:

    Eu estava lá, vendo teus olhos fechados.

  • mote:
    Abriu a manhã exalando perfume.

    Eu te amo...

    E abriu-se a manhã, num delicado perfume,
    Bem quando os primeiros raios de luz chegaram,
    Senti no meu rosto um calor, um quase ardume,
    Eu sonhei... ou os lábios dela me tocaram?

    Só a lembrança dela, como de costume,
    Aos meus quase mortos sentidos inflamaram,
    E abriu-se a manhã, num delicado perfume,
    Bem quando os primeiros raios de luz chegaram.

    A solidão tingiu-me a alma de negrume,
    Meus passos para longe dela me levaram,
    Cruel destino que a dor no peito resume,
    Mas mesmo assim do amor dela não me afastaram,
    E abriu-se a manhã... num delicado perfume.

    (Marcos - 14/01/2019)

This reply was deleted.
CPP