Gestores Adm

I Oficina de Rondel sobre mote

Rondel O Rondel é um gênero de poesia francesa. Sua forma é sempre a mesma, não varia nunca.

É formado por duas estrofes de quatro versos e uma de cinco versos, nesta mesma ordem.

Pela maneira que é estruturado, o Rondel irá sempre ter apenas duas rimas. As rimas são: ABAB/BAAB/ABABA.

Tem uma peculiaridade: os dois primeiros versos da primeira quadra vão ser os dois últimos versos da segunda quadra.

Temos que cuidar ainda, que o primeiro verso da primeira quadra será o último verso do poema (da estrofe de cinco versos).

A preferência do versos é de sete ou oito sílabas poética (não é rígido), portanto pode ser feito em verso livre, só não pode ser verso quilométrico.

Exemplo

Desilusão

  Sofri por amor, mas meu pranto secou-se, (A)

          Nas íngremes margens da desilusão! (B)

           Amargo meu peito de dor exilou-se,  (A)

         Nas grutas profundas da dor, solidão. (B)

             Tornei-me rascunho, mera ficção,   (B)

      E apenas tristezas o tempo me trouxe.  (A)

Sofri por amor, mas meu pranto secou-se, (A)

         Nas íngremes margens da desilusão!  (B)

         De todo esse amor que era tão doce, (A)

         Ficaram lembranças caídas ao chão. (B)

                  Mas a poesia não congelou-se   (A)

           E brota do fundo do meu coração.    (B)

Sofri por amor, mas meu pranto secou-se! (A)

Edith Lobato

A oficina funcionará do segeuinte modo:

Será deixado um mote de um verso para o participante se inspirar ou usar este verso como começo do seu rondel, quando postar sua composição, deve deixar outro mote em tela para o próximo partiicpante.

Regras

1. Todos os membros podem participar.

2.Permitido comentários sem imagem.

3. Permitido formatação dos poemas

Boas composições!

 

 

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Mote:

    Tudo tem o tempo certo de acontecer

  • Valorizo todos momentos de emoção

     

    Valorizo todos momentos de emoção

     A chama do amor é a pura felicidade

    Pois fala bem alto no meu coração

    E felicidade está nas possibilidades

     

    A vida pode ser de muita qualidade

    Quando aproveitamos cada inspiração

    Valorizo todos os momentos de emoção

    Em cada amizade, em toda afetividade

     

    Há no canto da m’ alma muita gratidão

    Buscada também em toda criatividade

    Em caso de dúvida, faço súplica, oração

    Só com o bem minha alma tem afinidade

    Valorizo todos os momentos de emoção

    (Norma Aparecida Silveira de Moraes)

    03/08/2020

  • Mote em tela:

    Valorizo todos os momentos de emoção

  • os fracassos ensinam a viver

     

    os fracassos ensinam a viver

    muitas vezes sofreu meu coração

    quanta solidão tive no meu ser

    tive que calar toda minha emoção

     

    Tive até vontade de desaparecer

    Já não tinha mais a inspiração

    Os fracassos ensinam a viver

    Mas tudo foi para minha evolução

     

    Custou bastante para eu entender

    Mas tive sentimento de gratidão

    E humildade para buscar, conhecer

    Superar o que faz sofrer o coração

    Os fracassos ensinam a viver

    (Norma Aparecida Silveira de Moraes)

    03/08/2020

     

     

     

  • Mote em tela

    Os fracassos ensinam a viver

  • Na escada da vida também tem atalhos ( Gilnei)

    Cautela

    Na escada da vida também tem atalhos
    Há degraus bambos que pode nos enganar,
    Existe espalhados muitas folhas e galhos
    Trazidos pelo forte vento ao passar.

    É preciso subir lentamente e vasculhar
    Para não decepcionar... sentir-se em frangalhos
    Na escada da vida também tem atalhos
    Há degraus bambos que pode nos enganar.

    Às vezes sentimos como paspalhos
    Quando sentimos os planos modificar
    Paralizamos como um espantalho
    Com medo de na subida fracassar
    Na escada da vida também tem atalhos.

    Márcia A Mancebo
    02/08/20

  • Mote em tela

    Na escada da vida também tem atalhos

     

    Gilnei Neves Nepomuceno

  • Mote de Márcia A Mancebo

     

    SEJA AONDE FOR

     

    Com teu abraço perco a direção

    E me deixo levar seja aonde for

    Com você fica clara a escuridão

    E o frio dorme como seu calor

     

    Seu beijo me inebria de emoção

    Tremo, me encontro em seu calor

    Com teu abraço perco a direção

    E me deixo levar seja aonde for

     

    Você me conduz para sua razão

    Confio nos seus passos, meu amor

    Semeando poesia no meu coração

    Entrego-me sem reserva ou pudor

    Com teu abraço perco a direção

     

    Gilnei Neves Nepomuceno

     

  • Mote em tela

    Com teu abraço perco a direção

  • Não há caminho sem curvas e atalhos ( Márcia)

    Não há

    Não há caminho sem curvas e atalhos
    Sem pontes sobre volumosos rios,
    árvores com flores pendendo nos galhos,
    pássaros com suaves assovios...

    Não há Ser que não viva em frangalhos
    suplicando companhia nas noites de frio.
    Não há caminho sem curvas e atalhos
    Sem pontes sobre volumosos rios...

    Não há poesia sem título no cabeçalho;
    sentimento de coração vazio,
    alguém que não foi chamado de paspalho,
    que não sentiu na vida, calafrio.

    Não há caminho sem curvas e atalhos...

    Márcia A Mancebo
    20/07/20

This reply was deleted.
CPP