Adm

I Oficina de Rondel sobre mote

Rondel O Rondel é um gênero de poesia francesa. Sua forma é sempre a mesma, não varia nunca.

É formado por duas estrofes de quatro versos e uma de cinco versos, nesta mesma ordem.

Pela maneira que é estruturado, o Rondel irá sempre ter apenas duas rimas. As rimas são: ABAB/BAAB/ABABA.

Tem uma peculiaridade: os dois primeiros versos da primeira quadra vão ser os dois últimos versos da segunda quadra.

Temos que cuidar ainda, que o primeiro verso da primeira quadra será o último verso do poema (da estrofe de cinco versos).

A preferência do versos é de sete ou oito sílabas poética (não é rígido), portanto pode ser feito em verso livre, só não pode ser verso quilométrico.

Exemplo

Desilusão

  Sofri por amor, mas meu pranto secou-se, (A)

          Nas íngremes margens da desilusão! (B)

           Amargo meu peito de dor exilou-se,  (A)

         Nas grutas profundas da dor, solidão. (B)

             Tornei-me rascunho, mera ficção,   (B)

      E apenas tristezas o tempo me trouxe.  (A)

Sofri por amor, mas meu pranto secou-se, (A)

         Nas íngremes margens da desilusão!  (B)

         De todo esse amor que era tão doce, (A)

         Ficaram lembranças caídas ao chão. (B)

                  Mas a poesia não congelou-se   (A)

           E brota do fundo do meu coração.    (B)

Sofri por amor, mas meu pranto secou-se! (A)

Edith Lobato

A oficina funcionará do segeuinte modo:

Será deixado um mote de um verso para o participante se inspirar ou usar este verso como começo do seu rondel, quando postar sua composição, deve deixar outro mote em tela para o próximo partiicpante.

Regras

1. Todos os membros podem participar.

2.Permitido comentários sem imagem.

3. Permitido formatação dos poemas

Boas composições!

 

 

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

  • Mote:

    Não deixe que a saudade te faça sofrer.

  • Corajoso coração

    Minha esperança esperou em vão
    cruzando os ciclos do viver.
    Até que, corajoso, meu coração,
    libertou a mente do triste sofrer.

    Fechou-se ao amor e não quis mais saber
    entregar-se a nenhuma paixão.
    Minha esperança esperou em vão
    cruzando os ciclos do viver.

    E com a perda da bela ilusão
    Incentivado a não esmorecer
    Aumentou de tal forma a pulsação.
    Inventou que a vida não o vai vencer.
    Minha esperança esperou em vão.
    Márcia A Mancebo
    15/06/19

  • Próximo mote: Minha esperança esperou em vão

  • Mar de incerteza.

    A solidão aparece em silêncio
    Carregando uma sólida tristeza
    E essa tristeza eu vivencio
    Porque perdi do amor, toda certeza.

    E a tristeza é como um prenúncio
    Que a vida, sem amor é aspereza.
    A solidão aparece em silêncio
    Carregando uma sólida tristeza.

    Eu não quero viver no precipício
    Que me joga no mar de incerteza
    Transforma a minha vida num suplício
    Onde não há alegria nem beleza
    A solidão aparece em silêncio...

    Marsoalex – 12/06/2019

  • Próximo mote:
    A solidão aparece em silêncio.

  • Despautério!

    A noite chega trazendo seus mistérios
    deixando-me toda arrepiada com medo.
    Calada, procuro com certo critério
    isolar da mente, misterioso segredo.

    É ruim sentir-se assim, em degredo.
    É como prender-se em um monastério.
    A noite chega trazendo seus mistérios
    deixando-me toda arrepiada com medo.

    A escuridão parece um cemitério
    Tremendo, estralo,sem parar os dedos.
    Tenho pavor é um despautério.
    Mas, me escondo entre arvoredos.
    A noite chega trazendo seus mistérios.


    Márcia A. Mancebo
    (12/06/19)

  • Qual é o mote, Marsoalex?

    • Próximo mote:A noite chega trazendo seus mistérios

This reply was deleted.
CPP