Na morada dos sentimentos

Sentimento inquieto

A transbordar indiscreto

No olhar de inebriante sim

 

De tudo e mais um pouco

Num sentir quase de louco

Por seu toque a cativar

 

Em obsceno segredo

A me entregar em folguedo

Queimo por seu estopim

 

Silenciada em seu beijo

Deixo falar o desejo

Que em você fiz repousar

 

Indo além do que devo

Em suas mãos me atrevo

Sendo o que quiser de mim

 

E a me abrigar em seu peito

Como refúgio perfeito

Faço morada de amar

(Suzete Palitos)

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Enviar-me um email quando as pessoas responderem –

Respostas

This reply was deleted.
CPP