Posts de Bruno Alves (15)

Meus versos

Meus versos 

O que sonho
E o que sinto
É meu...

que mais seria
se explica-se
o sabor que sinto
quando te beijo?

Eu leio o universo da minha vida
E escrevo só porque me apetece
Faço-o por gosto e isso me creativa.

a minha vida é o céu a vestir-se,
porque o momento é o tempo a deslocar-se,
Docilmente...

nada me conforta
nem o conforto,
só a tua companhia
é que me faz saber o que é isso.

o chão que a tua confiança pisa
está depositada em mim...
em tudo, e no meu olhar
e na minha sina.

beijei-te lentamente no vago sentido de tudo, ao redor o mundo cala...
e estarei me a despedir de ti
se te dou beijos curtos?

Agora que escrevo
Vivo mais o momento
Escrevo porque contigo vivo mais
Mais apaixonado...

é tao facil escrever sobre amor
basta dizer o que sentimos
de verdade
mas e o que nos magoa?

por isso escrevo
é um balanço dos atmos
É o mesmo que no luar caminhar...

a noite eu não sonharia
sem a planicie dos amigos,
E no peito tenho o respeito
Pelo meu proprio sentimento.

Bruno Alves

Saiba mais…

Quadros

Quadros

Tenho telas de quadros que pintei
e molduras de outros quadros ainda por pintar
Que em cada traço de verdade me ceguei
e ao observa-los não sei mais do que chorar.

Emociona-me a alma entre as palavras!
Que preferi pintá-las...
As palavras com sentido nao são palavras,
São sensações ao escutá-las.

De azul pintei os rios e o mar
a preto desenhei o teu rosto
de rosa o teu vestido que me faz recordar
a tua boca a meu gosto

Mas tenho andado á escuta nao sei do quê...
porque è nas palavras que o meu coração crê
e por onde se apaixona,
é assim que o meu funciona.

Há emoções inertes nos cantinhos de cada um
Como quadros que só nós entendemos
Dentro de nós é esse o senso comum
Coração por onde nós sofremos.

Bruno Alves

Saiba mais…

Onde estás meu amor?

Onde estás meu amor

Onde estás meu amor
Que não te vejo ?
sei, sei que tudo é saudade
é, mas amor volta porque é verdade.

Cala-me a boca com o teu beijo
e abraça o meu abraço,
colhe a minha mão e o meu coração
e, descobre a minha pureza pelo meu olhar.


Tudo para mim na vida 
é, um desejo eterno em te ver sorrir,
É um carinho sem te tocar,
um, possivel modo de presença sem sequer lá estar.

Volta e vem ser minha
para eu ser eu,
volta e vem ser a rainha
do castelo meu.

Volta ou então nao voltes mais
Fica mas não vás
Sê e crê, sempre...
O resto a mim é tanto faz.

Bruno Alves

Saiba mais…

Sentir

Sentir

A tarde do dia de ontem beijou-me
E o luar abraçou-me á noite desde a lua
Amor, vives noutro planeta?
E o amor anda por aí...!

É me tao real o que sinto,
Como o vento a passar-me pelo ouvido
Que todos os dias me comprimenta
E não me deixa ficar sosinho.

E o luar que muitas vezes me faz falta
Para me mostrar o caminho
Ou só apenas o olhar para cima
Para a ver...

Gosto de tudo natural... como sentir o pico do inverno;
Mas há algo em mim que me custa...
Quem me dera que fosse só este calor da primavera
e não esta estranha forma de estar.

Nada é meu mas tudo passa por mim...
Como a lua e a tarde que nem me beijou mas ficou aqui.
E o vento que me sussurrou baixinho:
O amor é um sonho do qual se dorme devagarinho.

Bruno Alves

6/2019

Saiba mais…

Mais um dia

Mais um dia 

A velha luz dos postes longe de mim
Que tremiam aos meus olhos
E que eu sorria por ter de as ver assim
Hoje, são apenas luzes e postes.

Hoje, parece que fingem estar lá...
Antes eram luzes que estavam longe,
e me encantavam
hoje, não as sinto da mesma forma.

Já não brilham em mim
não me luzem em meus olhos
Já nada me inspiram, o que me inspiravam
Já nada me curam, nem essa paisagem.

Porque me sinto assim?
Desinspirado,constipado, 
Será que tenho febre? é isso!
mas aqui bem dentro de mim...

Nao sinto aquele ar de se respirar felicidade,
Nao me sinto a olhar com um olhar,
A luz do horizonte pouco me encanta,
As luzes dos postes pouco vibram.

Nada me traduz neste esclarecimento
Nem a minha liberdade de inspiração
O mal que sinto neste momento
Sinto eu ca dentro no meu coração.

Bruno Alves

Saiba mais…

Na praia sem ti

Cantam gaivotas teu sentimento
Voam livres em tua liberdade
Sinto melâncolia não te ver neste momento
É duro saber essa realidade.

Sinto saudades tuas na praia, a chorar...
Vejo as nuvens a irem embora,
Creio em mim, sentado a esperar
Que o meu coração arrefeça agora...

Sabem as rochas sobre o nosso amor
Sabe a praia daquele nosso encanto
Sei bem que sou o teu sabor,
Sou eu, tudo isto que te canto.

E... voa uma brisa macia
Que me toca como se fosses tu me a tocar...
Se nao fosses tu quem seria?
O vento, só para me fazer lembrar.

Sossega coração,
Como um sino á espera que lhe toquem...
Tem mais paciência evmais compreensão,
Como os barcos sem que o mar os sufoquem...

Bruno Alves

Saiba mais…

O tempo que já passou

Oh tempo pára!
Pensa em mim!
Pára despercebido,
Nao deixes o inicio ter fim...

As coisas boas são para se saborear
Passa devagar ...
Nao sei o que o meu coração tem
Mas ele está a reclamar.

Será que foi mais um sinal?
Ou um sentimento?
Nao quero que pares ,nao faz mal!
Quero viver e ser eu por muito tempo.

Mas espera um bocado
e deixa-me descansar,
Hoje estou magoado
por saber que estás a passar!

Aquele dia maravilhoso
Cheio de energia
Química e magia me contagia
E me faz ficar carinhoso.

Tem Calma e espera!
Deixa-me relaxar ...
O passado já era
deixa-me lentamente o presente saborear.

Nao tenho pressa!
A pressa faz emagrecer;
Serenamente e com calma
A plena vida quero viver...

Vivo
Sinto e sei
o que digo;
É a minha sinceridade sem lei.

De noite existe a lua
Em mim existe ninguem.
De dia existe o sol,
Á noite durmo com quem?

O que é natural
É o que me dá mais prazer e paixao.
Mulher maqueada nao tem mal
Por maquear-se não esquece o coração...

Elas ficam persistentes
Quando vem o verão.
belas e atraentes
Ja perceberam do que eu falo ou não?

Nós percisa-mos delas
Como uma boa carne
E podemos-as representar em telas
Pintadas nuas ou vestidas cheias de charme.

São flores
E mulheres
São uns amores
Têm coracao; mas tanbem há algumas quaisqueres.

Bravas ou de estufa
Amarelas ou encarnissadas
Nenhuma delas tem miaufa
De uma noite bem passada.

E o tempo...?
O Tempo esse passa e nao pára,
E não se esgota.
Nos melhores momentos nos encara
E nos faz olhar uma gaivota.

Ele é o mandatário
Desta nossa vida
Ele faz-nos esperar no altar
E ver a nossa mulher bem vestida.

Ele vai passando, e quando passou
A única coisa que resta
foi o que ele nos ensinou.

 Tempo ...
que cura feridas.
E adormece desmedidas
Fatias do momento.

Oh coração ! Estou a escrever.
Deixa-me sossegar um bocadinho...
Quero pensar em mim e descrever
O que sinto neste bocadinho.

Todos nós gostamos de algo...certo?
Pode ser carnal ou um objecto,
Mas também pode ser um dialogo
Daquilo que nos traz mais afecto.

Enfim...oh tempo? So tu sabes e guardas
Aquilo que eu já fiz...
E o ontem entrelaças
Com o hoje feliz.

Eu da-va pulos na cama com o rádio a tocar
E fazia torradas a tardinha
So tu para me fazer pensar
Naquilo que fazia e naquilo que tinha.

Sinto o coração constipado
Talvez apanhou uma corrente de ar,
Nao sei? mas estou preocupado...
Porque ele nao tem lenço pra se assoar.

Nao vivo de despedidas
Vivo os momentos
Nenhum sentido faria
Se tudo fosse ao acabar o tempo.

E no meu coracão
se ao menos toda a magia e angustia podesses levar
Ele ficaria mais descancado
Por tu o fazeres recuscitar.

Cada um é como é,
Cada um vive o seu momento
Se no meu passado desse um pontapé,
Ficaria feliz e triste ao mesmo tempo.

É facil ser sincero?
É difícil ser realista?
O teu amor é o que mais quero
Porque posso me sentir artista.

Na minha vida
Nao quero ser estupido nem altruista
Nao me vingo na bebida
Sou as vezes é pouco optimista!

sozinho e sem companhia
Gasto o meu tempo
Hoje nao consigo fazer magia
De tanta coisa que tenho ca dentro.

Vivi o meu dia-a-dia e gozo o momento.

60 minutos tem uma hora?
Então dá tempo para comer um gelado!
Descansado como-o mas fico a nora
Quando olho para o tempo congelado.

Que saudade.......
Que inquietacão!
Por não saber gerir o coração.
Pensam que estou a fingir...?
É difícil eu não tive formação
Estou sosinho vou dormir

Saiba mais…

Lagoa Azul

Lagoa Azul

Naves e cometas, intrusos do nosso espaço
Alheios á física que nos entrelaça
O tempo voa ,não passa...
Em amor e paixão de cada pedaço

O teu vestido sai vestido
Pelo meu corpo, teu agasalho
Por ti química aquecido
Coberto com teu cabelo grisalho.

Cinco sentidos ocupados
Só contigo...
De amor e sexo incansados
Num abrigo.

Pelos pomares nocturnos
Que a lua amadurece
Amadurecemos entre as árvores, seguros
Do amor que nos elouquece.

Há lugares sem nada
Onde tudo acontece,
E no escuro a lua amolece
A pedra onde a tua alma está sentada.

Bruno Alves

Saiba mais…

Mágica geada

Mágica geada

Vai alta a noite desinibida
Ouve-se silêncio, louvor...
Na luz pálida da lua escondida
Revejo-me a mim mesmo, amor...

E no ar que arrefece as baladas
Toda a sua fria melodia faz cair
No céu e nas roupas já bem dobradas
A gentileza faz sair ...

Estou só em silêncio ocupado,
A ouvir a geada nua a cair...
Nem durmo, fico mais um bocado
A ouvir essa chuva a dormir...

E com as estrelas a brilhar
Farto de saber meu coração!
Amanhã vai lhes perguntar
Se é amor ou é compaixão...

Destas legiveis e ignotas horas
Que estas noites preenchem de nadas
Pois esta noite se não me namoras
Vou intrepretar a geada.

E se me não ouvir a pensar
Nao existirei para mim,
E em segredo deixarei de sonhar
O Infinito, o real, o mundo assim...

Bruno Alves

Saiba mais…

Amor e solidão

  • AMOR E SOLIDÃO

    Amor, és o meu verão
    inverno sem ter que me aquecer
    bombom meu e teu, tarde longa, beijo em serão
    Tua inexistência, Amor é morrer.

    Vem te intrometer no meu hórario, nesse tédio
    Beija-me num semáforo vermelho,parados, a caminho
    Abraça-me ao quadrado,dilui a minha saudade e o remédio de não te ter
    Enriquece-me pois fali; vendi fiado de carinho.

    Fico perdido a olhar o mapa
    Sinto-me a viajar, inquieto sem razão.
    Percorro tudo e em nenhum lugar me escapa
    esta tua falta, tamanha solidão.

    Nao sei viver longe de mim
    Sem ti, amor em mim
    És o doce numa fatia de pão
    Norte e sul, tamanha inspiração.

    Bruno Alves

Saiba mais…

A minha sensibilidade

A MINHA SENSIBILIDADE

Tristeza se manifesta em meu rosto
Pois o futuro sabe interpretar
São lágrimas salgadas como o mar
E minha alma sem ombro nem encosto

Silenciosas escorregam em meu pescoço
Sinto-me a fraquejar
Já nao sei de mim nem do meu esboço
Como se as lágrimas me estivessem a apagar

E neste instante, este confronto
Sinto esta dor sem estar desferido
Aperta-me o coração este encontro
Entre a saudade e a tristeza de te ter perdido

Quando te tinha eras a minha nobreza
Um carinho a jantar com tudo pronto
Mas esse restaurante perdeu a sua beleza
Por já não ser lá que te encontro

Tu eras o meu mundo
Hoje não te tenho, fiquei sem nada...
Agora so me resta ser verdadeiro e profundo
Nestes versos sem fachada.

Bruno Alves

Saiba mais…

Pôr-do-Sol

PÔR DO SOL

Pousa-se o sol na praia atrás do além
Apaziguando assim a noite já quase vestida,
Deixando em mim o ter-de-ir tanbém...
Neste momento sem medida.

Quem sou eu?
Pergunto eu.
sou como tu, amor meu!
Só que com outro olhar, nu.

Eu sei, não sei de mim
Porque me perco a olhar para ti...
Ai! se me pudesses dize-lo aqui
Porque é que me olhas com aquele assim...!

Se fosse eu o teu mar
Eu seria teu.
Se o pôr-do-sol pudesses esperar?
O teu sol seria eu...

Bruno Alves

Saiba mais…

Praia da Ursa (Um belo dia na praia da ursa)

Praia da Ursa

Nao sei o que pensar
Será o mar??
Que me faz vir aqui parar
A esta praia espetacular?

Talvez seja o mar que me fez vir
Como aos outros também
Hoje não trouxe ninguém
Nem penso que vou ter subir

É aqui que gosto de estar
Está calor e um pouco de vento
Que deixa um fresquinho no ar
Pois hoje está bom tempo.

Vim relaxar os meus pensamentos
e pôr em prática o que estava a desejar
Que é aproveitar os bons momentos
Pois era de férias que estava a percisar.

Vim sozinho
Vim eu apenas eu
Trouce um sumo bem fresquinho
E o meu amor está no céu.

Mas não tenho
e o quanto isso me faz pensar
Por isso eq me contenho
Com este lindo lugar.

Se amo alguém que não posso ter
Sera alguém que nunca me vou esquecer
Essa pessoa será a minha mãe
Um dia quando ela morrer.

Perdi
Algo que escrevi
Mas enfim
Ainda não chegou ao fim.

Sulpica-me aquilo que hoje sou
Desço isto tudo por prazer
Dou graças ao que o" hoje" se tornou
Pois nunca ninguém me disse como o fazer.

Nao tenho inveja nem vaidade
O que tenho até empresto
Cultivo a amizade
E a falsidade é o que detesto.

Nao venho aqui fazer magia
Sei alguma mas é segredo
Venho apenas sentir a alegria
das coisas do mar e dele tenho medo.

Vim ca para me deitar
Pensar e relaxar
Se não o fissese era o mesmo que não ca estar
E a envolvencia despresar.

Nao estou a mentir
Se nao nada me faria vir
Tenho o meu coração a sorrir
Por apenas saber sentir

As coisas que sei que tocam
A qualquer pessoa
Afligem-nos e no mar nao se afogam
ficam sempre e até magoa...

Fica sempre algo em mim
Quando algo acontece
Coisas boas guardarei ate ao fim
O resto o coração esquece

Nao pôde evitar o teu olhar
Como um barco a cair no fundo do mar
Nao sei se posso sonhar
Em nos teus braços um dia poder estar.

Não emprenho pelos ouvidos
O que és para mim és tu,
Nao troco os meus sentidos
Por algo que vejo a olho nu.

A vida é como a serpente
Anda em ziguesague
Crescemos e vivemos solenemente
Ate que um dia a luz se apague.

E talvez no final parece que passou derrepente...

Dizes que tou focado
Em ir a praia um bocado
Mas tens me trocado
As voltas e não te vens deitar ao meu lado.

Podias vir para relaxar
Um bocado nesta praia espetacular
Ao meu lado te podias deitar
E me olhares ate eu te beijar.

E pores a cabeça no meu peito
Mesmo eu não tendo geito
P'ra te enrolar o cabelo meigo
Por tudo estar tão perfeito.

Nao venho para aqui simplesmente falar
Digo-tr que adoro este lugar
Pois tenho tempo para aproveitar
E o trabalho nao falta nada por organizar.

A vida é o que de bom
Ela tem
Sentir nao é so dizer
Se não escrevia o que me convem.

Na areia molhada
Fica aquela agua quase parada
Numa ondinha ja quebrada
que depois se desfaz em nada.

E dá a praia aquela beleza tal
Deixada neste areal
E não existe nada mais real
Do que a areia conter metal!

No fim do dia sou eu quem fica
Porque é ésta a hora melhor,
Meu deus és tao bonita
Mas não estas ao meu redor.

Na água não se sente frio
E ao longe está um navio
Que navega no mar horas a fio
E me fez lembrar que já sou tio.

Familia? é bom ter
É um laço maior do que a amizade.
Todos crescemos e temos de morrer
E estar com eles é sentir felicidade.

Estar sozinho é so mais um passo
Para aprender a sentir as coisas...
É como usar um compasso e
Fazer um circulo sem querer que oiças.

Estar sozinho nao é um precipicio
É algo bom de aturar
Começando no fim até ao início
É o caderno que estou a virar.

Sozinho á minha maneira
A ler a escrever ou a fazer pontos
O meu coração nao é nenhuma torradeira
Para aturar os filhos dos outros.

So a mim me afligia
Se aquela triste união
Filho criado por uma tia
E os pais no bem bão.

O meu coracao é grande mas cuidado.
Nao finjo o que sinto
É melhor te pores de lado
Porque há coisas que apertam ás vezes o cinto.

Mais vale viver em prol
Da vida bem estruturada
Ir a praia e apanhar sol
Do que nao ir e ter a vida estragada.

Nao liguem ao que digo
Ás vezes escrevo mal
Ninguém diz mas sou mendigo
Vim das terras do choupal.

Gosto de manga arregacada
De mãos ao trabalho...
Pois nunca me deram nada de mão beijada!

Gosto de mim como sou
Tenho feitio como qualquer outra pessoa
Nao me perguntem como estou
Se não digo nada é porque está tudo na boa.

Se vos interessa saber de mim
Meus amigos são,
O que resta de mim sr serafim?
Se não os guardar no meu coração!

Nao sou feito de ferro
Para por cima ser pintado
Cresci a aprender com o erro
E nem por isso vivo do passado.

Passado está lá tráz
Hoje é presente
Sei que sou perspicaz
Com as coisas que agente sente.

O futuro o presente mo dirá
Se agente diz é o que agente sente
Então o meu mudará
Certamente.

Saiba mais…

Poema Pontual

Poema pontual

Não há ninguém como ela
Ela levita a minha cama
E sem ela sou uma vela
Sem chama.

Com ela imergi às estrelas,
Sinto me romântico,
Com tanto amor pude sê-las
E agora desejo lhe oferecer um jardim botânico

Numa simples flôr ou ramo
Fica toda uma essência...
O amor carece de existência
Se não lhe provar que a amo.

A nossa alegria cresce em maturidade
E deixa flutuar no mar toda uma saudade...
Estou a caminho da felicidade,
Sinto essa liberdade.

Que mais posso descrever?
Quando ela é a razão!
É com toda uma liberdade de ser
E toda uma expressão que vem de dentro, no coração!

Eu amarro-me a ela
Com um cinto,
De paixão e amor com canela
Isto tudo o que eu sinto.

O amor é uma magia...
Ou talvez uma canção
Se, ouvida em telepatia
Nisso sentir-se emoção...

Bruno Alves 11/18

Saiba mais…

Noite em branco

Noite em branco

Quero sonhar, ler um sorriso , voar!
Ser teu... Viver sem poesia,
Apreciar um lugar e ter a tua boca para beijar,
Sentir verdade, ternura e magia!

Desejo te ver, quero tanto te abraçar!
Sinto saudades do teu coração a bater!...
De estarmos juntinhos como os ponteiros quando o meio-dia estão a marcar,
Tempo inútil este, sem te ter.

Amor, vem ter comigo, minha Cinderela!
Deixa-me olhar para os teus olhos, ler os teus desejos...
Neles navegar sem barco nem vela
Para afogar-me na água desses teus beijos.

Salva-me pois é noite e tenho mil razões para te querer!
E as lindas noites com as estrelas, eu, tu e o céu?
Morde-me , arranha-me e beija-me só com um véu...
Vem ser a noite que eu serei o amanhecer...

Vem vestir-me de prazer
Debruça-te em meu corpo de cansaço...
Une-me a ti de vez! Uza como agulha de cozer
O nosso amor; e o nosso suor como linha de aço!

Dorme comigo mais uma vez...
Cala o silêncio do quarto
E deixa abrir como uma flor
O teu coração de quartzo.

Bruno Alves

Saiba mais…
CPP