Aos pés da cruz

 

Aos pés da cruz

Santa Sé.

Maculada

a nobre fé.

Aos pés da Cruz juraste-me amar

em nome do mais Santo dos santos.

e destruíste o nosso amorável lar.

E o pranto?

E por que

o  tanto?

Eis meu

espanto:

Num dia

a arrelia

destruiu

a minha

fantasia.

É a hora

do sublime

incondicional

a perdoar o mal.

Muito embora, agora

vás embora a outro lugar.

 

Sejas feliz, meu amor

Ao divagares por aonde fores.

 

É assim que se deve amar!


jbcampos

 

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

This reply was deleted.
CPP