De Improviso

Ver a imagem de origem

De Improviso

 

Nada tenho para escrever

Sequer consigo pensar

A noite me quer germinar

Não tenho o que entender

 

Me envelhecer

Em semente transformar

Nada tenho a escrever

Pro novo mundo voltar

 

Não tenho o que entender

Já me falta o ar

A voz muda sem querer

Força maldita é par

 

Sei que vou morrer

No escuro calar

Alguns minutos carrear

Um resto para saciar

 

fim

Antonio Domingos 10-01-22 22h56m

 

 

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Gestores

    Uauuu! Dvina inspiração! Poema exuberante!

    Parabéns !

    • Amiga Edth,.Agradecido de coração. De fato escrevi direto no site sem rascunhos. De vez em quando vem alguma inspiração.

      Sou grato pelo vosso reconhecimento

      Antonio Domingos

    • Gestores

      Sempre que assim o fizer, salve seu poema.

This reply was deleted.
CPP