HOJE

 

O que me leva o riso e me traz a tristeza?
Serão os sonhos não realizados?
Será esta vida, tão difícil de ser vivida?
Serão as horas que se acumulam sobre meu corpo
E o cansaço que toma meu coração?
Quem sabe as coisas possam mudar daqui por diante,
(prometI o mesmo anos atrás...)
Meus olhos enxugam a mesma lágrima,
Aquela música segue em meus ouvidos
E minha alma tem cheiro de mar.
Para que sonhar?
Na inexpugnável rotina dos dias tudo se repete,
São as mesmas coisas, as mesmas pessoas,
Até os mesmos insetos a me sugar o sangue.
Acreditei no riso fácil, no sucesso,
Na crença que faz bem andar na chuva,
Pisar na beira do mar,
Pensar nas boas coisas que ainda não tive,
Abraçar os companheiros imaginários,
Dançar livremente nos jardins,
Deixar crescer o cabelo e a barba,
Como se nada me fosse proibido.
Disseram-me que não havia perigo,
Que tudo nesta vida, passa,
Até mesmo a tristeza.
A saudade dos bons que se foram,
Os que davam bons conselhos
E não eram ouvidos,
Os que ensinavam o verdadeiro caminho
Que não seguimos,
Os que derramaram a primeira lágrima por nós,
Os que ouviram nossa voz
E nos deram razão...
Hoje apenas o coração se lembra,
As coisas mudaram... tudo mudou...
Nos encontramos uns com os outros
Sem mesmo nos encontrarmos,
Estamos perdidos girando sobre os eixos
De um universo desgovernado.
Somos sim, viventes,
Mas não satisfeitos com tudo.
Recebemos mais do que merecemos,
Mas julgamos ser menos do que podemos,
Buscamos o vil metal, a família perfeita,
Queremos retirar aquela pedra do passado
Que nunca conseguimos carregar,
O peso é demais para nossos ombros.
Não somos infelizes, assim pensamos,
Não somos felizes, assim pensamos.
Somos sim a metade de tudo,
A fração do que o futuro nos reservar.
Sonhar além daquela janela de vidro,
Saber o verdadeiro som daquela nota,
Sentir verdadeiramente o calor do sol,
Saber que “aquelas” coisas
São somente objetos,
Que o tamanho de nossos lares
É o mesmo dos nossos abraços,
Que temos tempo ainda
Para fazer mais do que precisamos,
Amar mais do que amamos,
Viver,
Mais do que vivemos.

Mário Sérgio de Souza Andrade - 17/03/2019

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

This reply was deleted.
CPP