Manhã tristonha

Manhã tristonha

Nessa manhã tristonha o frio
invade minha alma inquieta, sufocada
O vento passa veloz com triste assovio
Aumentando a angústia desnudada.

Sem alegria, olhos embaçam.
Pois, vejo folhas voarem sem rumo
Deixando as árvores nuas...sem encanto.
Não ouço pássaros. Emudeceram o canto!

Outono, estação que traz nostalgia
Parece que a natureza chora triste.
As madrugadas não tem alegria
Somente a solidão nela existe.

O pensamento solto ao leu, a vagar.
A ausência de braços quentes
Mãos vazias de afagos...de carinhos...
Sozinha, luto para o tédio ir embora
Mas, o coração dispara nessa hora
E o medo faz meu Ser fraquejar...

Márcia A Mancebo
15/05/20

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Gestores

    3700929297?profile=RESIZE_584x

  • Belamente descrita esta manhã tristonha

    Valem os pensamentos do poeta a divagar pelas

    palavras doces e belas, por vezes com medo de fraquejar...

    Abraço poético

    FC

    • Obrigada, Frederico!

      Um abraço carinhoso

  • Linda poesia. Você escreve com leveza e encanto. Parabéns.

    • Obrigada, Francisco!

      Um abraço carinhoso

This reply was deleted.
CPP