Inspirações

Overdose

 

Embriagam-se alegrias bem coalescidas
Verbalizam-se palavras onde albergo e apaziguo
O tempo a desabrochar mais rejuvenescido

A cada momento entrego-me a esta
Escorregadia solidão onde degusto
Cada silêncio mavioso, arredio…tão fugidio

Sangrou a noite toda a sua escuridão
Enquanto a luz introvertida se escondia
Numa overdose de desejos quase pervertidos

Pelas veias da madrugada bebo aquela
Lágrima onde calafetámos uma ilusão tão suicida
Calando todos os prazeres viajando nesta brisa reincida

E então quase esmagada e insana a manhã renascida
Aperaltou-se pra nós assim sensual e compadecida, qual
Albergue para tantos beijos toxicómanos e encadecidos

Frederico de Castro

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Frederico de Castro

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Que cada ilusão suicida gere um maravilhoso poema. Meus aplausos!

    • Obrigado Marso pelo gentil comentário

      Dia feliz

      FC

  • Estimado poeta Frederico. Que o Todo-Poderoso o abençoe e que sempre lhe dê bússola em seus belíssimos trabalhos.

    • Grato amigo pela sua simpatia e gentileza

      Bem hajas

      FC

  • Adm

    Ah! Frederico, este poema é sublime!

    Lírico e lindíssimo!

    Destacado!

    • Obrigado Edith pela gentil mensagem

      Votos de dia feliz e em paz

      FC

    • Que dizer de tão singela mensagem

      meus agradecimentos sinceros

      Dia feliz Angélica

      FC

  • Aplaudo cada vez mais seus versos,poeta!

    Amei!

    Bjsssssss

    • Obrigado Ciducha pela sua constância nestas páginas

      e gentileza das palavras

      Bem haja

      FC

This reply was deleted.
CPP