Vida Poesia

Encontro em ti virtudes tais e límpidas
Assim da forma como água em terra
Isenta d'água boa, d'água insípida
Que corre rumo certo e em si se encerra

E acessa a água doce a doce água
Que brota em jarro doce em doce boca
Liberta assim de mim toda esta mágoa
Que pranto chora, chora e molha a roupa.

Eu vivo a vida assim sem ter escolha
Querendo alguém que não está aqui
Eu vou ao céu, ao vento feito folha
Pensando o amor da vida que eu perdi.

O pranto meu esconde uma lagoa
Um mar de sal que tenho só p'rá ti
Um sopro só de vento em vil canoa
Que leva o vento bom sem eu pedir.

Talvez um dia eu volte vento forte
Talvez eu volte um dia ventania
Se não me leva a vida, leva a morte
Porém que fique a vida... Poesia!

Gilmar Ferreira 02/09/2018

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Gestores Adm

    Belíssimo poema.

    Parabéns pela composição.

    Destacado.

  • Gestores

    Muito lindoooooo!

  • Gestores

    93662762?profile=RESIZE_930x

  • Simplesmente Brilhante, poeta... Parabéns!

  • Que lindo,Gilmar!!

    Parabens pela inspiração

    Meusaplausos de pé!

    Beihjoss

  • Maravilhosa poesia, me fez lembrar que temos que cuidar das nascentes, da agua doce, doce versos. Aplausos mil

This reply was deleted.
CPP