Estações Separadas

Inverno ártico
Entre os trópicos
Numa meia estação silenciosa
De paredes úmidas.
As ideias se congelam,
Adormecem no presente vazio.
O norte já não existe mais,
Embora estando lá;
Eu não estou, e isso é o que importa.
Importam-se coisas mas não os lugares:
Estão todos em icebergs a deriva,
Ou talvez em fotos deixadas em armários.
O que fizeram com os lugares?
Sei que estão lá;
Mas eu não estou.
Já não me importo com isso,
Mas com o Tempo.
Sei que passa e nada adianta
O ato de respirar ou olhar a parede
Vendo um relógio imaginário
Sem ponteiros a percorrer o Tempo
Agora presente onde me encontro
No mesmo ponto presente.

Imagem e poema de airton parra sobreira

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

This reply was deleted.
CPP