Michele

 

Ao lembrar desgastado das oscilações constantes

entre o nosso convívio

Assumo meu temperamento

sem culpar o signo

Nas madrugas estreladas sob a luz do luar

Me acompanha as cervejas

de mãos dadas ao meu velho sarcasmo

A estima confronta na mais pura frenesi

Aquela tranquila paz que um dia seu beijo me fez,

vinculou prazeres desmoderados

Repenso minha partida

despindo-me da cobiça enfatizada

Nessa mútua desordem,

seguramos uma cobrança

sem condições de arcar a banca

Onde nada mais é impossível

Quanto a destituir o que teu olhar me trazia.

 

Leone Santos

 

02.05.18

Enviar-me um e-mail quando as pessoas deixarem os seus comentários –

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Gestores

    14664118?profile=original

  • Velhas e fortes lembranças, sempre se inssurgem.

    Parabéns pela obra, Leone.

     

  • 14625841?profile=originalDe pé!!!!!

    Abraço fraterno

    FC

  • 14623651?profile=originalAplausos de pé!!

This reply was deleted.
CPP