Meu pássaro, meu amor...

O pássaro cantou tão alto
Que deu pra ouvir de longe
Como mensageiro arauto
Que canta e não se esconde.

Canta no júbilo matinal
Faz seu canto no jardim
Perto de umas flores
Que ele cuidava pra mim.

Que pássaro que é cantor!
Que encanta sua beleza
Me leva pra onde você for
E me ensina sua destreza...

Cantava a todo tempo
Sem pouco desafinar
Pois era seu passatempo
Que usava pra encantar.

Lembro de seu concerto
De seu lindo gracejo
Era canto e era certo
E esse era meu desejo.

Minha dor era sua mudez
Depois de uns dias calou
No recanto era uma viuvez
Do pássaro que não cantou...

Ah dias fatídicos e inaudíveis
Meus dias mais impossíveis
Sou ouvinte sem cantoria
Sou Beethoven sem a magia!

Quando estava a desesperar
Escutei um cântico varonil
O que eu posso esperar?
Desse pássaro servil.

Voa à revoada no lírio
Sem asas como flor
Leva vento o doce sírio
Que dissipa meu amor!

Te ouço em toda esquina
És bom pássaro pra mim
Passe por cima da colina
Seja o amante mais afim.

Quero só que você cante
Que cante devagarzinho
E que assim me encante
E me ame, oh passarinho...

Eduardo Melo

 

 

Minhas Atividade

Francisco Eduardo Melo Gois commented on Eudalia Alves Martins's blog post QUERIA ESCREVER!
"Conseguiu! Querer escrever sobre amor, já é amor. Bela poesia!"
Sábado
Francisco Eduardo Melo Gois agora é amigo de Edith Lobato, Angel, ZKFeliz e mais 1
Adm
Nov 8
Francisco Eduardo Melo Gois commented on Paulo Sérgio Rosseto's blog post O SAL DA TUA LÁGRIMA
"Que linda lágrima! Parabéns grande poeta!"
Nov 4
Francisco Eduardo Melo Gois commented on Antonio de Jesus Trovão's blog post A PORTA DO INFERNO
"Belíssimo!"
Nov 3
Francisco Eduardo Melo Gois commented on Antonio de Jesus Trovão's blog post A porta do inferno (2)
"Belo poema, inspirado numa fatídica época. Descreveu bem essas atrocidades do Holocausto. Temos que nos lembrar da história tenebrosa de outros países e do nosso, para que não cometamos os erros do passado!   "
Nov 3
Francisco Eduardo Melo Gois commented on Eudalia Alves Martins's blog post DIA DAS BRUXAS...
"Belíssimo texto, Eudalia!"
Nov 3
Francisco Eduardo Melo Gois agora é membro de Casa dos Poetas e da Poesia
Nov 2

Meu Blog

Comentarios

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

  • Bem-vindo!

  • SEJA BEM VINDO FRANCISCO EDUARDO!

  • Adm

    Boa tarde. Seja bem vindo a Casa dos Poetas e da Poesia.

    Para postar basta clicar na palavra Publicações no menu acima. Do lado direito de sua tela aparecerá a frase, Adicionar um post ao blog, basta clicar e, apartir daí tudo é intuitivo.

    Desejamos que te sintas bem neste espaço de poetas.

  • Adm

This reply was deleted.

Sobre Mim

Aniversário:

Dezembro 18


1) Qual o teu nome completo?

Francisco Eduardo Melo Gois


3) Data de nascimento (não é necessário o ano)

18/12/1980


4) Local de residência (apenas Cidade, Estado e País)

Apuiarés _ Ceará


5) Mini Currículo (trabalho, experiências, gostos e ou preferências, família, produção poético-literária...).

Sou professor de ensino fundamental da rede pública municipal, já trabalhei lecionando no ensino superior e tenho gosto pela literatura. Tenho graduação em Letras Português na UFC e concluí o curso de Pedagogia, Educação Física e especialização em Psicopedagogia. Recentemente, fui selecionado pelo Concurso de Nacional de Novos Poetas.


6) Quem o/a indicou para a Casa dos Poetas e da Poesia (ou como ficou sabendo desta)?Cite o nome da pessoa que a/o indicou ou convidou.

Odeth


8) Está ciente que as poesias eróticas (caso as tenha), devem ser postadas no Grupo de Literatura erótica?

Sim


9) Concorda em participar e interagir conforme possa, com os demais membros nas atividades da Casa?

Sim


10) Está ciente que NÃO DEVE POSTAR mais que 3 (três) Mensagens por dia no Blog Geral?

Sim


11) Deixe o Link do Facebook, Recanto das Letras ou outro site onde possamos saber mais de você.

http://eduardodemelo.com


12) Publique neste espaço, uma Poesia ou texto de tua autoria. (não precisa ser extensa/o)

Lápis  Se um lápis fosse escrever Todas linhas tortas da vida Intortaria a ponta sem conter Não seria uma palavra dita Seria um lápis desalinhado Como um grafite sem ponta Um logo qu'é mal desenhado Uma calculadora sem conta Desenho a minha história Com rabiscos sem primazia Sou lápis de grande memória E enveredo como poesia E com esse lápis me escrevo Melhorando a pouco a caligrafia E nessas linhas eu me descrevo Como raios X e minha fotografia Quem me dera fazer traços Que tragam belas pinturas E com elas eu me desfaço Moldo sem folhas e rasuras... E quando lápis for escrever Pego uma borracha e apago Toda solidão e todo amargo Redigido em meu sofrer...


Minhas fotos

Conquistas pela participação


Pontos ganhos: 210

Minhas Discussões

Autor em tela

CPP