Minhas Atividade

Frederico de Castro commented on Marsoalex's blog post UNIVERSO ÍMPAR
"Quandos os universos do amor se fundem assim
deixam de ser dois...e passam a ser um
Lindo, lindo, meus aplausos
FC"
Out 10
Frederico de Castro commented on Marsoalex's blog post DESTINO CRUEL
"Um soberto poema, escrito por quem sabe destas coisas
Bem hajas amiga
FC"
Out 10
Frederico de Castro commented on Marcos Mollica's blog post AMOR MARINHEIRO...
"Belo e encantador texto Marcos, quase que também
nos afogamos nesse imenso mar de amor
Abraço fraterno
FC"
Out 10
Frederico de Castro commented on Jilmar Santos's blog post Se eu não tivesse me calado
"A boca fala daquilo que o coração está cheio
Lindo caro poeta, meu aplauso
FC"
Out 8
Frederico de Castro commented on Ricardo Nunes de Sales's blog post BEIJE-ME
"Sensualidade poética de uma rara beleza
Abraço e meu aplauso
FC"
Out 8
Frederico de Castro commented on FRANCISCO JOSÉ TÁVORA's blog post VIAJANTE
"Uma viagem deliciciosa e deslumbrantemente poética
Abraço fraterno
FC"
Out 8
Frederico de Castro commented on Meire's blog post Meu coração
"Amor dito e escrito em palavras incondicionais
Aplausos Meire, bem hajas
FC"
Out 8
Frederico de Castro commented on Gilmar Ferreira's blog post Amanhã
"Como diz o povo a esperança é a ultima a morrer
Belo texto poeta, bem hajas e um abraço fraterno
FC"
Out 8
Frederico de Castro commented on Ricardo Nunes de Sales's blog post UM GOSTO DE ORVALHO
"Brilhante poema, perfumado com palavras
mágicas e tão doces
Abraço fraterno
FC"
Out 8
Frederico de Castro commented on Marsoalex's blog post MEU NOME?
"Texto escrito com mesura e extrema elegância
Aplausos de pé amiga
FC"
Out 3
Frederico de Castro commented on Ricardo Nunes de Sales's blog post DELÍRIOS DE AMOR
"Esbelto e apaixonado poema,acorrentado aos desejos e paixões
Abraço fraterno e meu aplauso
FC"
Out 3
Frederico de Castro commented on Eudalia Alves Martins's blog post AINDA!
"Que lindo...ainda que passe a solidão, o silêncio,
o tempo será breve... mas o amor esse, é eterno
Aplausos e um abraço poético
FC"
Out 2
Frederico de Castro commented on Marcia Aparecida Mancebo's blog post Dueto- Edith/ Márcia
"Quando duas almas se encontram e juntas nos deixam estes dois
momentos de beleza pura, que mais dizer, senão o meu agradecimento e aplauso
Bem hajam
FC"
Out 2
Frederico de Castro commented on Marta Biscoli's blog post Nos braços dele
"Mágico e encantador seus versos. E com um final feliz...
Abraço poético
FC"
Out 2
Frederico de Castro commented on Sandra Medina de Souza's blog post Insanidade
"Soberbamente escrito quanto sentido
Abraço fraterno
FC"
Out 2
Frederico de Castro commented on Marcia Aparecida Mancebo's blog post Marsoalex/ Márcia
"Que esbelta parceria...que belos poemas
Aplausos muitos para as duas  que tão lindo escrevem
Abraço poético
FC"
Out 2
Mais…

Meu Blog

Comentarios

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

This reply was deleted.

Sobre Mim

1) Qual o teu nome completo?

Frederico Henriques de Castro Fernandes


3) Data de nascimento (não é necessário o ano)

20-06-1961


4) Local de residência (apenas Cidade, Estado e País)

Loures - Porutgal


5) Mini Currículo (trabalho, experiências, gostos e ou preferências, família, produção poético-literária...).

A poesia tem sido ao longo do tempo o meu suporte adiantado de vida. Nela me exponho, recrio e embrenho sem conflitos. Ao escrever cada palavra,cada verso,apenas escuto o sentir que esculpo no silêncio onde descortinar sei desta vida todo meu sonhar tateia e regurgita.


6) Quem o/a indicou para a Casa dos Poetas e da Poesia (ou como ficou sabendo desta)?Cite o nome da pessoa que a/o indicou ou convidou.

Edith Lobato


8) Está ciente que as poesias eróticas (caso as tenha), devem ser postadas no Grupo de Literatura erótica?

Sim,claro


9) Concorda em participar e interagir conforme possa, com os demais membros nas atividades da Casa?

Sim


11) Deixe o Link do Facebook, Recanto das Letras ou outro site onde possamos saber mais de você.

http://www.facebook.com/FF.1441


12) Publique neste espaço, uma Poesia ou texto de tua autoria. (não precisa ser extensa/o)

MUSICANTO Na pura plumagem do dia aguardam pelo voo imóvel dos silêncios o canto das aves sossegando o rumor dos timbres silvestres poisando na calmaria do tempo que paira acariciando a luz despertando em romaria Frederico de Castro DEIXA-ME IR... Deixa-me ir vestir-te a noite com véus de seda iluminando teu sono dormitando à toca da eternidade Deixa-me ir descrever-te como sorris unindo os vazios que se apressam a engolir todos os silêncios madrugadores adocicados e tão primaveris Deixa-me ir esvaziar o tempo que resta escorregadio deixado ali na lápide da vida onde se enterram lívidos cânticos dissimulados evaporando mais uma noite que se distancia feliz enamorada nos ventos com teus perfumes ornamentados disponíveis e tão sedentos Deixa-me ir percorrer todo o infinito e no fim de todo além alienar todos os sussurros quer trazes esteticamente descritos em teu ser revelado em versos sinuosos que a mim se alojam tão sorrateiramente Deixa-me ir espraiar-te meu mar navegar-te à vista sempre com marés ondulantes e impetuosas Abrigar-me dos temporais num acto sereno a ti comuflado Arribar contigo até a plenitude das manhãs se irmanarem em existências felinas que se desnudam, vasculhando minuciosas tuas digitais tatuando-me assim repentinas Deixa-me ir… pintar-te como rima eculpir-te em monumento escutar-te com instinto fintar-te com palavras hermeticamente transformadas num canto selecto de açoites Deixa-me ir percorrer uma vez mais todas as avenidas onde endereçámos os abraços vagueando no carrocel dos mesmos costumes gritando em folia incrustada neste pensamento onde de prazer na calada da noite te velo, recrio e invento Deixa-me ir… Frederico de Castro


Minhas fotos

Conquistas pela participação


Pontos ganhos: 33245

Grupos que participo

Minhas Discussões

Adornos ao luar

Vieste com sorrisos silvestresVislumbre de imensas brincadeiras vestindoAs interjeições de um sorriso congénereEmplastro de muitas…tantas, gargalhadas céleres Adormeço encostado ao travesseiro do tempoCarimbando todos os sonhos ardendo no braseiro…

Saiba mais…

Verbo amar...no imperativo

Queria um tempo só pra mim Mas peço se possível uma eternidade para dois Um cálice de novas chances para tantos Louca voragem ou nuance, gesto infindo repleto num sorriso Com direito reservado e exclusivo nesse romance Tudo o que resta do amor são…

Saiba mais…

Terra sangrenta

Bradas com veemência das profundezas do tempo Soltas um fogaréu imenso espumando raivoso em tons e matizes coloridas de esplendor consumindo com brevidade as longas horas silenciosas respirando e revelando cada depuração saindo das tuas entranhas em…

Saiba mais…

Presídio de mim

Recordo tudo com a memória vinculada em mimEngaveto saudades em prateleiras disponíveis nopassar dos temposFaculto à liberdade todas as algemas onde imponhocada presídio cativo dentro de mimDeixo pra outros uma parcela de futuroonde não cabe mais a…

Saiba mais…

Anfiteatro dos silêncios

Ficaram suspensas as nuvensClamando na tempestadeBalouçam no sulco do tempo que respira nosBraços de tantas solidões informais temperandoAqueles aguaceiros breves e sazonais Respiro a manhã pontual que renasce aCada dia, embandeirando a luz…

Saiba mais…

Errante caminhante

Pelo caminhar do tempo impaciente avivo Cada pegada marcada na esteira dos dias fugindo Apressados deixando no silêncio um uivo de Lamentos sedentos e enamorados   Pavimentei cada esquina do caminho Vandalizei meus sonhos mais itinerantes Acossados…

Saiba mais…

A surpresa do momento

Senti o espanto se esgueirando sem expectativa Os olhos apagaram sua luz deixando a manhã Ás escuras emigrando sem mais narrativa   A surpresa do momento definhou desatinada Deixando no ar o ultimato à esperança dilacerada Adiando cada hora…

Saiba mais…

O rejuvenescimento do silêncio

Em fuga a vida envelhece em sabedoria Deixa suas marcas no tempo num jeito Romântico curando o silêncio ao monitorar Cada ruga que ficou na face aposentada Dos sonhos contristados e galantes As sombras do rejuvenescimento ficam À mercê do tempo que…

Saiba mais…

Canino olhar

  Descobri pelo faro meu melhor amigo Ladrou, ladrou até morder a indiferença Do mundo ode se assanham os adulados Gestos vorazes comendo os restos de Um uivo caindo acovardado   Descobri nesse olhar canino seu Latido mais amigo Deixei-o a ladrar de…

Saiba mais…

E no fim resta...

E no fim resta...A madrugada que se despede impotente devoradora qual réstia de uma ilusão enferma ondulando pelos beirais do meu coraçãoMemórias idas nesta epidemia de saudadesonde esquartejo a vida repleta de solidão E no fim resta...Aquilo que a…

Saiba mais…

Autor em tela

CPP