Desconfiados

 

By Sys

Meu olhar está desconfiado

Desconfiado observa

Observa o tempo

Tempo passa desconfiado,

 

Desconfiado ele segue

Segue os segundos envolvidos

Envolvidos na trama das horas

Horas constantes no tempo,

 

Tempo disfarçado

Disfarçado de novo vem

Vem flertar com a vida

Vida que é minha, penso!

 

Penso poder escolher

Escolher confiar no tempo

Tempo velho, tempo novo,

Novo será meu desafio,

 

Desafio o tempo ser

Ser um eco que ouço

Ouço minha voz nele

Nele fiz verso desconfiado.

Feliz 2018 para todos!

Minhas Atividade

Suely posted a blog post
29 de Ago de 2019
Suely agora é amigo de Casada Poesi e Alberto Valença Lima
Gestores
29 de Ago de 2019

Comentarios

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

This reply was deleted.

Sobre Mim

Aniversário:

Janeiro 11


1) Qual o teu nome completo?

Suely Sabino


3) Data de nascimento (não é necessário o ano)

11-01-1964


4) Local de residência (apenas Cidade, Estado e País)

Coronel Fabriciano-MG-Brasil


5) Mini Currículo (trabalho, experiências, gostos e ou preferências, família, produção poético-literária...).

Gosto de ler e escrever.Sou a criadora do estilo EcoSys.


6) Quem o/a indicou para a Casa dos Poetas e da Poesia (ou como ficou sabendo desta)?Cite o nome da pessoa que a/o indicou ou convidou.

Edith Lobato


8) Está ciente que as poesias eróticas (caso as tenha), devem ser postadas no Grupo de Literatura erótica?

Sim


9) Concorda em participar e interagir conforme possa, com os demais membros nas atividades da Casa?

Sim


10) Está ciente que NÃO DEVE POSTAR mais que 3 (três) Mensagens por dia no Blog Geral?

Sim


11) Caso possua, deixe o Link do Facebook, Recanto das Letras ou outro site onde possamos saber mais de você.

http://https://www.facebook.com/sysabino


12) Publique neste espaço, uma Poesia ou texto de tua autoria. (não precisa ser extensa/o)

Ouça o vento     By Sys       Vento soprando Soprando as folhas secas Secas estão as memórias Memórias cantam com o vento,   Vento diz adeus e fica Fica rondando as folhas secas Secas estão às palavras Palavras que ecoam com o vento,   Vento fica se exibindo Exibindo para folhas secas Secas folhas rodopiam Rodopiam mortas com o vento,   Vento aguarda a chuva Chuva que molha folhas secas Secas estão às íris do olhar Olhar que só chora com o vento,   Vento não desiste Desiste é a vida seca Seca não balança o amor Amor à alma leva para o vento.


CPP