Minhas Atividade

Miguel Carqueija posted a blog post
CUIDADO AO FORMULAR PEDIDOS, ELES PODEM SER ATENDIDOSMiguel Carqueija“Súplica cearense”, de Gordurinha e Nelinho, com gravação original do primeiro (1960) e depois com Luiz Gonzaga, Elba Ramalho e outros artistas, é uma curiosa canção onde o sertane…
Jun 12
Miguel Carqueija commented on Meire's blog post Feliz dia dos namorados A todos
"Você tem razão, namoro é par ao ano inteiro e para a vida inteira. É este pelo menos, o namoro ideal. Beijos."
Jun 12
Miguel Carqueija posted a blog post
ICAMIABAMiguel Carqueija Eu sou filha da floresta,forte, formosa e leal;e no espaço que me restalevo a vida na jangal! Das Amazonas eu soua guerreira destemida;pra guerra também eu voucorajosa e atrevida! Minha raça é milenare hoje se oculta no seio…
Mai 2
Miguel Carqueija commented on MARGARIDA MARIA MADRUGA's blog post FELIZ ANIVERSÁRIO ISIS INANNA!
"Oi, Margarida. Eu tenho grande afeição pela Isis que rceonheço uma flor de sensibilidade e desejo me juntar aos cumprimentos que você fez tão belos. "
Mai 2

Meu Blog

A vespa e a zarabatana

A VESPA E A ZARABATANA

Miguel Carqueija

 

Resenha do romance “Morte nas nuvens”, de Agatha Christie. L&PM Pocket, Porto Alegre-RS, 2012. Volume 1090 da coleção da editora. Título original: “Death in the clouds”,…

Saiba mais…

Comentarios

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

This reply was deleted.

Sobre Mim

Aniversário:

Agosto 14


1) Qual o teu nome completo?

Miguel Francisco da Cruz Carqueija


3) Data de nascimento (não é necessário o ano)

14 de agosto de 1948


4) Local de residência (apenas Cidade, Estado e País)

Rio de Janeiro-RJ Brasil


5) Mini Currículo (trabalho, experiências, gostos e ou preferências, família, produção poético-literária...).

Sou escritor compulsivo e trabalho com diversos gêneros, principalmente contos e novelas de ficção científica, fantasia, terror e mistério, além de produzir poemas, resenhas de filmes e livros, e artigos diversos. Tenho muitos livros publicados em papel ("Farei meu destino", "O fantasma do apito", "A rainha secreta") e na internet ("A face oculta da Galáxia", "Poderosa" e outros).


6) Quem o/a indicou para a Casa dos Poetas e da Poesia (ou como ficou sabendo desta)?Cite o nome da pessoa que a/o indicou ou convidou.

Dolores Fender


8) Está ciente que as poesias eróticas (caso as tenha), devem ser postadas no Grupo de Literatura erótica?

sim


9) Concorda em participar e interagir conforme possa, com os demais membros nas atividades da Casa?

sim


10) Está ciente que NÃO DEVE POSTAR mais que 3 (três) Mensagens por dia no Blog Geral?

sim


11) Deixe o Link do Facebook, Recanto das Letras ou outro site onde possamos saber mais de você.

http://não há


12) Publique neste espaço, uma Poesia ou texto de tua autoria. (não precisa ser extensa/o)

A VINGANÇA Miguel Carqueija — Ei, que é isso? Como é que você entrou aqui? — Por teleportação, terrestre idiota. Não é o que sempre acontece nos seus romances? — Sim, mas... — Eu sou um marciano. Há mais de cem anos, desde Wells, que vocês, seus escritores de ficção científica de meia-tijela, nos apresentam como monstros horrorosos, perversos e sádicos. Há gerações que vocês nos caluniam e influenciam seu povo com as mais torpes peçonhas e mentiras contra nós. Agora cansamos e viemos nos vingar. — Mas espere aí... não é justo... afinal eu só tenho duas mãos e você tem dez... não, espere! Socorro... argh... TINKERBELL Miguel Carqueija Eu me chamava Sininho no dia em que o conheci; dei-lhe todo o meu carinho mas no fim eu o perdi. Eu e Peter assim fomos um amor bem diferente: afinal o que nós somos? Eu fadinha e ele gente. Mas como amar um humano pequenina como eu sou? Foi este o amor insano que bateu asas, voou. Eu só podia beijá-lo! Casar com ele impossível. Eu queria tanto amá-lo, viver assim era horrível. Mas Peter nem percebia o amor em meu coração; insone à noite e de dia, acalentando a paixão. Por toda a parte o segui, até que um dia cansei; e certa tarde eu fugi, às fadas eu retornei. No reino das fadas vivo curtindo um cruel destino: com meu coração cativo, soando triste o meu sino. A dor da gente é só nossa, que aos outros não se revela; Tinkerbell vive na fossa, Levando a dor que é só dela.


Minhas fotos

Autor em tela

CPP