Minhas Atividade

J. A. Medeiros da Luz commented on J. A. Medeiros da Luz's blog post Prelúdio de canção alucinada
"Pessoal:
Longe de mim querer me arvorar linguista, mas aproveitei para refrescar a (para mim) provável origem da expressão do caboclo amazônico, quando se refere a coisa ou pessoa que navega à deriva da correnteza do rio, isto é: "ir de bubuia". Daí…"
Mar 28
J. A. Medeiros da Luz commented on J. A. Medeiros da Luz's blog post Prelúdio de canção alucinada
"Caro Zacarias:
Agradecido pelo incentivo. Os microcosmos apresentam-nos geografias múltiplas. As viagens interiores, ainda que catalisadas por período de isolamento em quarentena, nos fazem cogitar sobre o que nos espera para além das curvas do rio.…"
Mar 27
J. A. Medeiros da Luz commented on J. A. Medeiros da Luz's blog post Prelúdio de canção alucinada
"Oi, cara Safira: Muito obrigado pelo turbinamento visual do poema, potencializando seu alcance. Abraço.
j. a."
Mar 27
J. A. Medeiros da Luz posted a blog post
 Prelúdio de canção alucinadaJ. A. Medeiros da Luz Veja-nos de novo, cara sombra,A excursionarmos pelos confins,Naquela vilegiatura em demanda deIgnotos desafios a Golias virtuais.Na hipnose desse ofício áspero,Estas pupilas se estampamPelos matizes…
Mar 27
J. A. Medeiros da Luz atualizou a foto do perfil
Fev 26
J. A. Medeiros da Luz atualizou a foto do perfil
Fev 24
J. A. Medeiros da Luz commented on antonio domingos ferreira filho's blog post Uma face do Império
"Belo poema, caro Domingos:
Este velho tropeiro virtual que ora lê a voss'merçê — com dois pés no sertão — sente, no rosto, uma nostálgica aragem, com aroma de ervas e capim, esquecendo-se até da brutalidade mesma do homem, dito caucasoide,  sobre se…"
Fev 24
J. A. Medeiros da Luz commented on Antonio de Jesus Trovão's blog post RÉQUIEM AO GUERREIRO
"Caro Trovão:
É como você bem disse: não há vencidos ou vencedores. Nos páramos, chapadões da alma, com efeito, lutamos a fileira dos dias, ininterruptamente, com nossos dragões e Golias interiores. E pela viseira descida — Quixotes atemporais que so…"
Fev 24
J. A. Medeiros da Luz atualizou a foto do perfil
Fev 24
J. A. Medeiros da Luz atualizou a foto do perfil
Fev 24
J. A. Medeiros da Luz commented on J. A. Medeiros da Luz's blog post Apenas com um tiro de balestra
"Olá Meire:
Obrigado pela gentileza do comentário. O triste é que a violência com os nossos semelhantes (não seríamos irmãos dos cervos, dos tapires e dos ursos?), nos moldes medievais que pincelei nos versos, ainda é uma tônica, incluindo aí — na ca…"
Jan 22
J. A. Medeiros da Luz e Meire agora são amigos
Jan 22
J. A. Medeiros da Luz commented on Marsoalex's blog post LÚDICOS IMPULSOS
"Cara Marsoalex:
Aplausos pela sensibilidade, que se desdobra até a ourela do transe poético, esse fenômeno mágico que nos acelera os batimentos do coração — esse nosso carneiro hidráulico vital.
 
Abraço do j. a."
Jan 19
J. A. Medeiros da Luz commented on Marcia A Mancebo's blog post Nas asas do pensar
"Parabéns, cara Márcia, pelo poema tão insinuante.
Ah! as asas do pensar! E sempre os limites que nos impõe a realidade, decretada pelos senhores do feudo, a tentar tosar as rêmiges do sonho àqueles que ousam ir além da estreiteza do "main stream". …"
Jan 19
J. A. Medeiros da Luz commented on antonio domingos ferreira filho's blog post "Preconceito", " Olimpíadas dos Desesperados'
"Caro Antonio Domingos:
Parabéns pelo poema, bem original. Não fora nosso antigo preconceito e haveria muitas odes a esse inseto, campeão olímpico de viver... Perto dele, nossa espécie arrogante é somente um recém-chegado e já "doente dos pulmões".
A…"
Jan 18
J. A. Medeiros da Luz commented on J. A. Medeiros da Luz's blog post Apenas com um tiro de balestra
"Tem plena razão, caro Antonio Domingos: poesia, tendo sentimento, é sempre poesia...Só para citarmos dois exemplos, não há como não nos emocionarmos com um poema de Catulo da Paixão Cearense, com suas raizes no sertão, ou  — noutra extremidade estil…"
Jan 18
Mais…

Comentarios

Para adicionar comentários, você deve ser membro de Casa dos Poetas e da Poesia.

Join Casa dos Poetas e da Poesia

Comentários

This reply was deleted.

Sobre Mim

1) Qual o teu nome completo?

José Aurélio Medeiros da Luz


3) Data de nascimento (não é necessário o ano)

28/02/1957


4) Local de residência (apenas Cidade, Estado e País)

Ouro Preto, Estado de Minas Gerais, Brasil


5) Mini Currículo (trabalho, experiências, gostos e ou preferências, família, produção poético-literária...).

"Minicurriculum": Cá desta placa tectônica sul-americana onde se incrusta o Brasil, cabloco goiano, filho de catarinenses e residente nas Alterosas; nascido em 1957, formou-se em engenharia de minas, na Escola de Minas da Universidade Federal de Ouro Preto. Tem publicado artigos técnicos, capítulos de livros técnicos e livros de poesia.


6) Quem o/a indicou para a Casa dos Poetas e da Poesia (ou como ficou sabendo desta)?Cite o nome da pessoa que a/o indicou ou convidou.

Margarida Maria Madruga


8) Está ciente que as poesias eróticas (caso as tenha), devem ser postadas no Grupo de Literatura erótica?

sim


9) Concorda em participar e interagir conforme possa, com os demais membros nas atividades da Casa?

sim


10) Está ciente que NÃO DEVE POSTAR mais que 3 (três) Mensagens por dia no Blog Geral?

sim


11) Caso possua, deixe o Link do Facebook, Recanto das Letras ou outro site onde possamos saber mais de você.

http://https://belasartesbelas.ning.com/members/JoseAurelioMedeirosdaLuz


12) Publique neste espaço, uma Poesia ou texto de tua autoria. (não precisa ser extensa/o)

Arribada

J. A. Medeiros da Luz

 

E lá se vai!

A altivolante garça dos desejos

— Aquele tênue traço de pincel

Em alvaiade luminoso sobre

O azul cerúleo da imensidão —

Vai compassadamente estirando

Seu voo para incógnitas lagunas,

Para além do horizonte dos eventos,

Em rumo às neblinosas madrugadas

Onde se perdem, incomensuráveis,

Aquelas de dedinhos cor-de-rosa,

Rosidígitas — dizem — rododáctilas

Auroras, alvoradas coloridas

Daqueles tão longínquos e perdidos

Dias abarrotados de alegria

De nossos quintalejos infantis

Que por vezes se fazem colossais.

Ouro Preto, 2019.


CPP